Pelourinho – Salvador, Bahia


Pelourinho, Salvador. Imagem: Fábio Brito.

Sendo um dos cartões postais de Salvador, o Pelourinho proporciona um mergulho na história da cidade e sua história se confunde com o próprio processo de fundação e ocupação do que hoje é Salvador.  Com o intuito de delinear Salvador como uma cidade-fortaleza, a área que corresponde ao Pelourinho foi cuidadosamente escolhida devido à sua posição geográfica próxima ao porto e, segundo o Guia do Pelourinho, “perto do comércio e naturalmente fortificada pela grande depressão existente que forma uma muralha, de quase noventa metros de altura, por quinze quilômetros de extensão, o que facilitaria a defesa de qualquer ameaça vinda do mar”.

Pelourinho, Salvador. Imagem: Fábio Brito.

Ainda segundo o Guia do Pelourinho, “o termo “pelourinho” é o nome dado ao local onde os escravos eram castigados pelos senhores de engenho. O “pelourinho” era construído nos engenhos, afastado da cidade. A fim de demostrar à população sua força e poder, os senhores de engenho resolveram construir um “pelourinho” no centro da cidade, instalando-o no largo central, hoje área localizada em frente a
casa de Jorge Amado. A partir daí os escravos eram castigados em praça pública para que todos pudessem assistir tal demonstração de poder. Devido a esse fato o “pelourinho” virou ponto de referência da cidade, dando nome ao antigo centro da cidade, e hoje Centro Histórico de Salvador”.

Pelourinho, Salvador. Imagem: Fábio Brito.

De centro da aristocracia soterapolitana à reduto de excluídos, o Pelourinho atravessou os anos, passou por processos de restauração e hoje é considerado patrimônio da humanidade. A transição está silenciosamente marcada nos casarões, que são a marca forte do lugar. Os casarões, que antes abrigavam a aristocracia e depois os marginalizados da sociedade soterapolitana, hoje abrigam museus, lojas, restaurantes, reforçando o caráter turístico do Pelourinho.

Pelourinho, Salvador. Imagem: Fábio Brito.

Todos os anos turistas de todo mundo caminham pelas ruas de pedra do Pelourinho e tentam resgatar um pouco da história da cidade, encrustada nas pedras e por debaixo das tintas coloridas dos casarões.  Os únicos pontos complicados de andar por esta porção da cidade são: o assédio exagerado aos turistas e passantes e alguns furtos, que ocasionalmente ocorrem. Os vendedores ambulantes tentam a todo custo empurrar todo tipo de mercadoria e como não há controle em relação a isso, nem aos cadastrados pela prefeitura, o passeio em algum ponto acaba por se tornar maçante, porque em vez de boas fotos e uma caminhada agradável, há risco de você voltar pra casa enfeitado de fitinhas do Senhor do Bonfim, que vão sendo atadas sem que sejam solicitadas pelos vendedores ambulantes.

Pelourinho, Salvador. Imagem: Fábio Brito.

No mais, tendo atenção aos pertences, o passeio vale a pena, rende boas fotos e lembranças interessantes. Quem tiver ainda interesse, pode saborear o acarajé vendido pelas baianas do Terreiro de Jesus. Fica então a dica deste postal de Salvador, que vale a pena ser visitado não porque consta nos roteiros turísticos tradicionais, mas pela sua importância histórica e beleza.

Siga a trupe do Jeguiando no Twitter!

Conheça nossa Fanpage!

*Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.
**Comentários ofensivos serão deletados.

11 Comentários

  1. [...] e saiba sobre o que se trata esse blog. Se gostar, assine e fique sabendo das novidades! « Pelourinho – Salvador 18 [...]

  2. [...] Centro Histórico de Salvador e fizemos uma apanhado geral de locais bacanas para se visitar como o Pelourinho, o Elevador Lacerda, A Cubana e o Bahia Café, hoje falaremos de uma das imagens que mais circulam [...]

  3. [...] post anterior dedicamos um espaço para falar sobre a Sorveteria A Cubana, que possui unidades no Pelourinho e na Praça Municipal, onde também se localiza um dos mais famosos postais de Salvador: o Elevador [...]

  4. [...] o Centro Histórico de Olinda, que foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO. Assim como o Pelourinho em Salvador e San Telmo em Buenos Aires, o Centro Histórico preservou características do período [...]

  5. emersom igor disse:

    olha como e lindo meu sonho e viaja e partttisipado carnaval sou de sergipe

    (sou nesesitado mais minha faamilia nao tewm com disao para min leva paraaa minha sidade mais querida moro no bairro industrial tenho 13 anos av general calazans)

    que foto0s lindas da na cara de qualllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll quer um pais ou cidade

    chau

    beijos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. emersom igor disse:

    oi tudo bom como
    vai
    salvado
    100%
    carnaval

  7. GuIz!nHO disse:

    nosa ese saite é perfeito cara ele é mauito baum
    vale a pena verlo ^.^

  8. Marcelo disse:

    Faltaram legendas nas fotos.

  9. [...] e nos objetos. Um dos locais que possui uma grande concentração de igrejas é, sem dúvidas, o Pelourinho, localizado no centro da cidade. Geralmente, os turistas são levados a conhecer a Igreja de São [...]

  10. [...] os maiores cartões-postais da cidade: a Praça Cayru, que abriga o Elevador Lacerda e o acesso ao Pelourinho. Praça Cayru. Salvador, Bahia. Imagem: Janaína [...]

  11. [...] cartões-postais da cidade: a Praça Thome de Souza, que abriga o Elevador Lacerda e o acesso ao Pelourinho. Praça Thome de Souza. Salvador, Bahia. Imagem: Janaína [...]


Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail Anuncie_aqui_no_Jeguiando

Pesquisar

  Lojinha_do_Jeguiando     Guia_Destinos_de_Inverno Produtos_Submarino

Destaques do Jeguiando

    Interior_de_Sao_Paulo Canadá_topo2

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: