O que fazer em Montréal, Canadá – Roteiro básico (Dia 2)

Montréal é uma cidade que merece ser visitada com tempo. Com tempo e sobretudo com atenção. Digo isso porque ela encerra em si tantas nuances, que dificilmente você a visitará várias vezes sem descobrir algo novo. Tive a oportunidade de pisar em suas terras duas vezes (até então) e nas duas vezes me deparei com cidades diferentes, apenas pelo fato de ter me hospedado em hotéis distintos ou de ter percorrido áreas diferentes das que visitei em minha primeira incursão pelo destino.

A segunda cidade do mundo em população francófona é vibrante em sua vida noturna; em seus restaurantes (mais de 6000 ao todo), festivais e bairros – que carregam identidades múltiplas e a certeza de que o Canadá é um país aberto à multiplicidade. Em Montréal, a comida é um aspecto importante do cotidiano, não só pela questão óbvia da nutrição, mas sobretudo pelo seu caráter social. Seus habitantes têm o hábito de visitar os mercados municipais – quase que diariamente – para comprar ingredientes frescos para preparar suas refeições e o vinho é sempre um convite na hora do rush para conversar e chegar em casa com calma.

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

Montréal. Imagem: Erik Araújo

Montréal. Imagem: Erik Araújo

Montréal não é apenas um destino gastronômico – fruto da influência francesa em sua constituição identitária.  A cidade é movida também por seus festivais ao ar livre, como o Festival Internacional de Jazz de Montréal, pelos seus museus e pelas opções de atividades oferecidas em seus arredores, como visitar uma estação de esqui em Mont Sutton – onde é possível praticar uma série de esportes ao ar livre também na primavera, verão e outono, como trekking e hiking –; visitar vinícolas, como a Vinícola Domaine des Côtes d’Ardoise e a Vinícola de l’Orpailleur, e provar alguns exemplares do seu Ice Wine (vinho obtido a baixíssimas temperaturas); além de sidrerias, como a Domaine Pinnacle. Dentro e fora dos limites dessa múltipla cidade canadense, há, definitivamente, muito a conhecer e fazer.

Para trazer um breve exemplário do que é possível conhecer e fazer em Montréal, decidimos montar um roteiro de quatro dias para o viajante que quer aproveitar bem o que a cidade e seus arredores têm a oferecer. Para isso, dividimos o material em quatro posts: o primeiro (Roteiro do dia 1) trouxe dicas como tomar café da manhã e almoçar no Marché Jean-Talon; passear por Place-des-Arts; visitar o Musée d’art contemporain de Montréal e o Complexe des Jardins e, por fim, jantar no agradável F Bar. Hoje, no segundo post da série, falaremos do mais famoso bagel da cidade; de um restaurante tradicional; do Space for life; de alguns bairros imperdíveis para um passeio e muito mais. Vai embarcar nessa viagem com a gente ou não? =)

Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

As cores de Montréal. Imagem: Erik Araújo

  • Roteiro básico para conhecer Montréal e os seus arredores (Dia 2)

>> Dicas de como se locomover em Montréal

> Utilizar o metrô da cidade é sempre uma boa pedida

Se uma cidade conta com um bom sistema de transporte público, é sempre uma boa pedida utilizá-lo. Por que? Porque além de mais barato, é uma forma que o viajante encontra para mergulhar um pouco mais no cotidiano da cidade que está visitando. Em Montréal, por exemplo, seus habitantes têm o hábito de utilizar o transporte público, bicicletas e de caminhar bastante – carro é sempre a última das opções –, logo, se você quiser viver como um local, pegar metrô, ônibus e caminhar faz parte do dia a dia.

Um dos pontos importantes sobre o Canadá é que o transporte público, principalmente nas grandes cidades, funciona; é bem sinalizado e consegue dar conta da demanda de passageiros. Em Montréal, por exemplo, Erik e eu fizemos grande parte de nossos deslocamentos utilizando o metrô e ônibus. Não há mistérios. É só checar o mapinha nas estações, se localizar, localizar a estação de destino, ver se há baldeações no caminho e visitar a cidade.

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

Metrô em Montréal. Québec. Imagem: Erik Araújo

> Alugar uma bicicleta também pode te ajudar a conhecer Montréal

Além do metrô e ônibus, o viajante ainda pode alugar bicicletas em Montréal e circular por seus bairros, podendo fazer as paradas que quiser, inclusive para um café ou um chocolate quente. Espalhados pela cidade, os pontos de aluguel de bicicleta estão disponíveis para a retirada e para a devolução dos equipamentos.

Aluguel de bicicletas em Montréal. Imagem: Erik Araújo

Aluguel de bicicletas em Montréal. Imagem: Erik Araújo

Aluguel de bicicletas em Montréal. Imagem: Erik Araújo

Aluguel de bicicletas em Montréal. Imagem: Erik Araújo

>> Dia 2: St-Viateur Bagel; explorar o The Plateau Mont-Royal; almoçar no Schwartz’s; visitar o Space for life; jantar no La Fabrique Bistrot

> Parada para um bagel no St-Viateur Bagel

Se você, como nós, utilizar o metrô para se deslocar por Montréal, sua estação de destino no segundo dia de incursão pela cidade é a Station Mont-Royal, que te deixará próximo a um dos lugarzinhos mais famosos da cidade: o St-Viateur Bagel, para que você possa começar bem o dia. Para quem não sabe, os canadenses são, em geral, loucos por bagels, assim como nós adoramos um pãozinho francês no café da manhã e o St-Viauteur Bagel é um dos melhores lugares da cidade para mergulhar no espírito eat like a local, quando o assunto envolve esse tipo de pão.

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Fundado em 1957, o St-Viateur Bagel é uma das duas únicas casas especializadas em bagel de Montréal e a mais tradicional. Apesar de muitas outras padarias produzirem também a rosquinha, lá o visitante encontrará uma grande variedade do produto, com coberturas diferentes. Grande parte dos hotéis e grandes restaurantes de Montréal compram os bagels produzidos no St-Viateur para servir em seus cafés da manhã ou nos couverts. No local, você pode escolher o pãozinho quentinho e sair caminhando pelas ruas de Montréal, saboreando esse produto tão amado pelos canadenses.

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

St-Viateur Bagel, uma das mais tradicionais lojas de bagels de Montréal. Imagem: Erik Araújo

Outras informações:

Localização: 263 St-Viateur Ouest. Montréal, Québec, Canadá. H2V 1y1.

Horário de Funcionamento: 24h/7

Site oficial: http://www.stviateurbagel.com/main/

Metrô mais próximo: Station Mont-Royal

> Caminhar pelo Plateau Mont-Royal e por suas cercanias

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Desconsiderando, obviamente, as minhas marcações tortas no mapa, tentei demarcar uma área da cidade extremamente interessante para quem quer mergulhar um pouco mais nas ruas fervilhantes e coloridas de Montréal. Depois de pegar seu bagel quentinho no St-Viateur Bagel, é hora de explorar The Plateau Mont-Royal e suas cercanias.

Como citei anteriormente, é possível explorar várias porções de Montréal utilizando o transporte público, bicicletas ou caminhando. Como eu não sei andar de bicicleta e várias partes da cidade são especialmente planas, Erik e eu resolvemos conhecer a região do Plateau Mont-Royal a pé. Para quem gosta de fotografia e para quem curte fazer passeios com toda a liberdade possível, definitivamente caminhadas sempre figuram como uma boa opção.

Edifice Alcide-Chaussee - Le Malheureux Magnifique. Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Edifice Alcide-Chaussee – Le Malheureux Magnifique. Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

A região que corresponde ao Plateau Mont-Royal é considerada uma das áreas mais boêmias e interessantes da cidade, principalmente pela grande concentração de artistas que residem por lá. As casas – geralmente sobrados – ganham toques coloridos e o charme das escadinhas externas, dando às ruas estreitas dessa porção de Montréal uma atmosfera acolhedora e aos mesmo tempo vibrante.

No Plateau Mont-Royal, não deixe de caminhar pelas suas principais avenidas – a Mont-Royal Avenue e a Saint-Denis Street –, visitar suas boutiques ou assitir a alguma perfomance musical que porventura esteja acontecendo por lá. Nessa porção da cidade, é possível também descansar, ler um livro ou até fazer um piquenique no La Fontaine Park. Na Saint-Denis Street, há um ótimo restaurante, que indico para o jantar – o La Fabrique Bistrot (mas falaremos dele mais tarde) – e um café bem acolhedor, onde fomos tomar um chocolate quente para nos esquentar – o La Petite Cuillère.

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

La Petite Cuillère, boa opção de café na Saint-Denis Street. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parte do Plateau Mont-Royal, o viajante ainda pode incluir no roteiro uma visita a Mile-End, considerado um dos bairros mais únicos da América do Norte por reunir uma série de fotógrafos, músicos, pintores, filmmakers, animadores e artistas em geral. O bairro é literalmente a alma criativa do Plateau Mont-Royal e, cada vez mais, tem se tornado um atrativo para quem queira mergulhar na alma festiva de Montréal. Em uma visita a Mile-End, não deixe de passar pela Bernard Street East, onde se concentram várias boutiques e lojinhas em geral.

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Saindo um pouco do Plateau Mont-Royal, há muito o que explorar em suas cercanias. Little Italy, por exemplo, encaixa-se perfeitamente em uma manhã de andanças por essa porção da cidade. O bairro foi vastamente ocupado por imigrantes italianos no século XIX e até hoje é possível observar a influência do país por suas ruas. Para quem adora uma trattoria, cantinas e cafés com um toque italiano, seu lugar é na Pequena Itália!

Levando em consideração que todo roteiro é uma sugestão e que você, viajante, tem todo direito de não segui-lo à risca. Retomando o mapa que destaquei no início desse tópico sobre o Plateau Mont-Royal, há muito o que explorar não só em seus limites, como em suas cercanias. Então, além dos lugares que citei, de lá é possível também caminhar um pouco mais e conhecer o Parc du Mont-Royal ou o Cimetière Mont-Royal (mas eu deixaria o passeio por essas bandas para depois do almoço).

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Explorando The Plateau Mont-Royal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

> Almoço no Schwartz’s

Fundado em 1928 por Reuben Schwartz, um imigrante judeu da Romênia, o Schwartz’s é, assim como o St-Viateur Bagel, considerado um verdadeiro patrimônio histórico para Montréal. Localizado no Saint-Laurent Boulevard, próximo a bairros como Little Italy e ao Plateau Mont-Royal, o local ficou famoso por seu sanduíche de carne defumada – seu maior ícone e prato mais clássico –, que é consumido não só por viajantes, mas primordialmente pelos montrealenses.

O lugar é pequeno, por isso raramente o visitante não encontrará uma pequena fila formada em sua entrada, mas a visita a esse clássico da gastronomia de Montréal faz parte de um roteiro básico pela cidade! Depois de caminhar tanto pelo Plateau Mont-Royal e por seus bairros e vizinhanças, vale a pena sentar em uma mesinha no Schwartz’s e provar seu sanduíche de carne defumada com uma generosa porção de picles e batata frita.

Almoço no Schwartz's. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz’s. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz's. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz’s. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz's. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz’s. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Outras informações:

Localização: 3895 Saint-Laurent Blvd.

Tel.: 514 842-4813.

Site oficial: www.schwartzsdeli.com

Metrô mais próximo: Saint-Laurent.

Almoço no Schwartz's. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz’s. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz's. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Almoço no Schwartz’s. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Depois de um almoço no Schwartz’s, você pode seguir por dois caminhos: conhecer o Parc du Mont-Royal e o Cimetière Mont-Royal (mas só opte pelo passeio se você gostar de parques e cemitérios, obviamente), ou pegue um metrô para o Space for life (ou Espace pour la vie), nossa sugestão para aproveitar uma tarde e um pedacinho da noite.

> Space for life (Espace pour la vie), Parc Olympique de Montréal e Stade Olympique:

Uma ida ao Space for life demanda tempo e sobretudo energia para conhecer tudo o que esse complexo reúne em seu território, até porque além dos atrativos englobados pelo espaço (Biodôme, Insectarium, Botanical Garden e Planetarium), o local ainda se encontra próximo ao Parc Olympique de Montréal (Parque Olímpico de Montréal) e ao Stade Olympique (Estádio Olímpico).

O Space for life (ou Espaço pela vida, em português) é um complexo inteiramente dedicado à natureza (Biodôme, Insectarium e o Botanical Garden) e à ciência (Planetarium). É, segundo seus idealizadores, “um movimento participativo e também um compromisso para melhor compreender e proteger a biodiversidade do nosso planeta”. (Fonte/ tradução livre: http://espacepourlavie.ca/en)

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Clique em cima do mapa para ampliá-lo.

Se você dispor de poucos dias na cidade, a dica é: priorize aquilo que você quer realmente conhecer. Se você adora esportes e tem vontade de conhecer o Parc Olympique de Montréal e o Stade Olympique, então pegue um metrô rumo à Station Viau e comece seu passeio por lá. Se você se interessa por animais, a dica é começar seu passeio pela Biodôme e, para os amantes de astronomia, a dica é dar início à sua jornada pelo Planetarium (para todos esses atrativos, a estação de metrô indicada é a Station Viau). No entanto, se você quer assistir a um belíssimo espetáculo de luzes e formas, sugiro deixar o Botanical Garden para a noite – porque aí você terá a oportunidade de presenciar o Gardens of Light e fazer fotos incríveis.

> Parc Olympique de Montréal e Stade Olympique

Torre de Montréal. Parc Olympique. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Torre de Montréal. Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Torre de Montréal. Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Torre de Montréal. Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Construído para abrigar os Jogos Olímpicos de Verão de 1976, o Parc Olympique de Montréal figura entre os principais atrativos da cidade e pode ser visto ao longe a partir de vários pontos da cidade. Após as Olimpíadas, o complexo olímpico, constituído pela Torre de Montréal e pelo Stade Olympique, foi transformado em um espaço voltado para grandes eventos como shows; exposições e também aberto ao público para a prática esportiva.

Mesmo que você não seja um entusiasta de esportes, uma visita ao Parc Olympique de Montréal vale a pena principalmente pela vista panorâmica que a Torre de Montréal oferece da cidade. Com 165 metros de altura, ela figura como a torre inclinada mais alta do mundo, destacando-se ainda por seus incríveis 45 graus de ângulo. “O funicular é o único no mundo que funciona com uma estrutura curva. Ele tem um sistema hidráulico que permite que a cabine permaneça na horizontal durante o passeio de dois minutos para o topo”. (Fonte da informação: http://parcolympique.qc.ca/en/)

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Stade Olympique visto a partir do Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Stade Olympique visto a partir do Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Com capacidade para transportar até 76 passageiros por vez, o funicular que conduz os visitantes até o topo da Torre de Montréal é o ponto de partida para uma experiência emocionante: ver Montréal de uma perspectiva privilegiada. Do alto, é possível não só avistar uma série de pontos turísticos da cidade, como vislumbrar ainda o Rio São Lourenço. O passeio ao topo da torre foi classificado com três estrelas no Guia Michelin e é uma oportunidade de “abraçar” a cidade com os olhos.

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc Olympique de Montréal. Montréal, Québec. Imagem: Erik Araújo

Outras informações:

Localização: 4141, Avenue Pierre-De Coubertin, Montreal, Quebec, H1V 3N7.

Tel.: 514 252-4141/ 1 877 997-0919.

Fax: 514 252-0372

Contato: rio@rio.gouv.qc.ca

Metrô mais próximo: Station Viau.

Horário de Funcionamento: Diariamente, das 9 às 17 horas.

Tarifas: Tours de 30 minutos pelo Centro Olímpico (CAD 8,00); Torre de observação (CAD 15,00).

Site oficial: http://parcolympique.qc.ca/en/

> Biodôme de Montréal

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Construída em 1976, assim como o Parc Olympique, a Biodôme de Montreal integra um conjunto de instalações operadas pelo Nature Montreal Museum, que engloba em seu entorno o Insectarium, o Botanic Garden e o Planetarium (ou seja, o visitante pode reservar metade de um dia ou um dia inteiro só para conhecer todas as instalações que envolvem o projeto). O passeio é indicado para todas as idades, sobretudo para crianças, que geralmente curtem ver de perto os bichinhos.

Reunindo ao todo quatro tipos de ecossistemas que podem ser encontrados nas Américas – floresta tropical, típica na América do Sul; floresta de maple Laurentiana, que reproduz o deserto norte-americano; golfo de St. Lawrence e regiões sub-polares, que englobam o Ártico e o Antártico –, a Biodôme não só traz espécies de animais que fazem parte desses ecossistemas  – muitas, inclusive, em risco de extinção  –, como recria as principais características desses meios (vegetação, solo, clima, etc.).

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Como a biodôme é disposta de forma relativamente circular, é o visitante quem decide por onde começar a visita, que foi pensada para ser feita sem a participação de guias. Todo o trajeto traz informações em totens, mas o visitante ainda pode solicitar áudio-guias, para aproveitar melhor a experiência. Caso os totens e os áudio-guias ainda não deem conta de trazer todas as informações, ao longo do passeio os chamados intérpretes da natureza – geralmente profissionais da área de biologia – estarão a postos para tirar as dúvidas restantes. É permitido tirar fotos! Só não exagere no flash, para não espantar os animais.

Além da visitação dos quatro ecossistemas, a Biodôme de Montreal ainda promove uma série de atividades principalmente voltadas a crianças, como expedições, shows de bonecos, exibições de filmes, todas com propostas educacionais, que aproximam as crianças da natureza de forma lúdica, na tentativa de se construir uma consciência ecológica desde pequeno.

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

A Biodôme conta ainda com uma estrutura de lanchonete (para fazer um lanchinho rápido ou para ajudar o visitante a passar o dia por lá); lojinha de presentes e lembrancinhas (que tem vários bichinhos de pelúcia); banheiros e um balcão onde são vendidos os tickets para todas as atrações que compõem o complexo Space for life.

Outras informações:

Localização: 4777 avenue Pierre-De Coubertin, Montréal, Québec, H1V 1B3.

Tel: (514) 868-3000

Horário de Funcionamento: Usual – 9:00 às 17:00 hs/ Verão – 9:00 às 18:00 hs

Site oficial: http://www2.ville.montreal.qc.ca/biodome/site/site.php?langue=en

Metrô mais próximo: Station Viau.

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Biodôme de Montréal. Montréal, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

> Insectarium, Planetarium e Botanical Garden

Além do Parc Olympique, do Stade Olympique e da Biodôme, como citei anteriormente, o viajante ainda pode conhecer o Insectarium, o Planetarium e o Botanical Garden de Montréal, localizados na mesma região. Como citei anteriormente, se você dispõe de pouco tempo na cidade, o ideal é priorizar o que realmente quer ver, para conseguir aproveitar os atrativos sem pressa, afinal viajar não é fazer check in em um lugar apenas, mas realmente vivenciar o que este lugar nos oferece em termos de experiência.

Botanical Garden à noite. Garden Light. Montréal, Québec. Imagem: www.tourisme-montreal.org

Botanical Garden à noite. Garden Light. Montréal, Québec. Imagem: www.tourisme-montreal.org

Exceto o Botanical Garden (cuja estação de metrô mais próxima é a Station Pie-IX), todos os demais atrativos citados são facilmente acessados pela Station Viau. Para maiores informações sobre o Insectarium, o Planetarium e o Botanical Garden, acesse http://espacepourlavie.ca/

> Jantar no La Fabrique Bistrot

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Para fechar muito bem esse dia de longas caminhadas, sugiro pegar o metrô rumo a Station Sherbrooke e retornar à Rue Saint-Denis, em Plateau Mont-Royal, para jantar no sempre convidativo e charmoso La Fabrique Bistrot.

Localizado em frente a Square Saint-Louis, o La Fabrique Bistrot chama a atenção principalmente pela sua atmosfera pós-industrial e urbana. O ambiente é despojado, com mesas de fórmica, sem toalhas, rodeado de tijolos crus, muita madeira e a iluminação fica por conta de lâmpadas encontradas principalmente nos vagões de trens canadenses antigos. A cozinha, situada bem no coração do restaurante, está sempre aberta aos olhares atentos e curiosos dos visitantes – que podem, inclusive, acompanhar o preparo do seu próprio prato. O serviço é também despojado e bastante atencioso, mesmo no burburinho que crescentemente povoa o lugar, que abre para o brunch, jantar e para eventos.

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Seguindo a tradição dos quebequenses de dividir uma garrafa de vinho nas refeições, a carta desse charmoso bistrô é bastante ampla e a jovem sommelier do restaurante certamente lhe indicará o vinho ideal de acordo com seu pedido. Para beliscar, de entradinha, não deixe de pedir o picles artesanal conservado no champagne – o pote que traz a conserva vem acompanhado de uma generosa cestinha de pães também artesanais, que ajudam a acompanhar a bebericagem enquanto os pratos principais não ficam prontos.

Essencialmente fusion, o cardápio traz preparações como Beef Tartar e cogumelos selvagens, fatia de torta de queijo cheddar envelhecido e vinagre balsâmico; Salmão tartar temperado com creme de Cognac, maçã, aipo-rábano; Pés suínos de Crispy com estragão e mostarda à moda antiga, escarola e maçã; Carne assada e vieira, gnocchi de manjericão, azeitona e abobrinha; Hambúrguer artesanal, salada de repolho e batatas fritas preparadas em gordura de pato, entres outros pratos. Para conhecer as outras preparações, inclusive sobremesas, acesse o Menu do La Fabrique Bistrot.

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Outras informações:

Localização: 3609, St-Denis, Montréal, Québec, H2X 3L6, Canadá.

Tel.: 514 544-5038.

Site oficial: http://www.bistrotlafabrique.com/

Metrô mais próximo: Station Sherbrooke.

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

La Fabrique Bistrot. Montréal, Canadá. Imagem: Erik Araújo

  • Viajando para Montréal de trem pela companhia Via Rail:

Você sabia que é possível atravessar o Canadá de trem da costa leste a oeste, de Vancouver a Halifax? Durante nossa viagem de 32 dias pelo Canadá, utilizamos, durante a travessia pelo país, apenas trens da companhia Via Rail para o nosso deslocamento entre as cidades e províncias. Mantida pelo governo canadense, a companhia de trens conseguiu ligar uma das maiores nações do mundo em território de ponta a ponta e ainda alcançar porções longínquas, como Churchill e os territórios do Norte, utilizando apenas os trilhos.

Para chegar a Montréal, por exemplo, utilizamos o The Corridor (http://goo.gl/UE15NP) e explicamos detalhadamente através desse link questões referentes à bagagem, alimentação, Wifi, entre outros pontos. Dessa forma, caso você, viajante, se interesse em chegar até a segunda cidade mais francófona do mundo sobre trilhos, basta acessar nosso post e conferir como é viajar a bordo dos trens da Via Rail. =D

Trem The Corridor, da companhia Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Trem The Corridor, da companhia Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Para adquirir os trecho rumo a Montréal, basta acessar o site da Via Rail (http://www.viarail.ca/) ou comprar as passagens diretamente na estação.

Localização da Estação de trens da Via Rail em Montréal: 895 de la Gauchetiere West. Montréal, QC, H3B 4G1, Canada.

Tel.:

Chegadas e partidas: (888) 842-7245.
Informações e reservas: (514) 989-2626.
Achados e perdidos: (514) 871-7761 .

É possível viajar até Montréal a bordo dos trens da Via Rail. Experimente! Imagem: Erik Araújo

É possível viajar até Montréal a bordo dos trens da Via Rail. Experimente! Imagem: Erik Araújo

Se você gostou do nosso roteiro sobre Montréal, não perca os próximos posts sobre a cidade. Enquanto isso, não deixe de ler também o roteiro básico sobre Montréal (Dia 1) e as outras publicações sobre o destino reunidas aqui.

  • Parceiros e patrocinadores

patrocinio

Agradecimentos especiais:

Além do apoio de nossos patrocinadores e parceiros nesta expedição, agradecemos também o apoio que recebemos de Halifax, Quebéc City, Montréal, Toronto, Winnipeg, Banff, Lake Louise, Jasper, Whistler e Vancouver durante nossas paradas.  =)))

Para obter mais informações sobre www.tourisme-montreal.org

Siga o Jeguiando nas redes sociais e acompanhe o projeto Jeguiando across Canada:

Conheça os patrocinadores e parceiros do projeto:

Via Rail (Realização e Patrocínio)

Broker Brasil Corretora de Câmbio (Patrocínio)

Comissão de Turismo Canadense (Apoio)

Delta Hotels (Apoio)

Air Canada (Apoio)

Vertebratta (Idealização/Projeto)

 

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

7 Comentários

  1. Ana Maria Coutinho disse:

    Janaína e Erik,

    Conheci o Blog de vocês através de uma grande amiga e estou imprimindo todas as matérias de vocês para apresentar ao meu agente de viagens. Queria fazer no mínimo a metade do que fizeram na cidade!

    Os roteiros estão ótimos! Muito detalhados! Parabéns aos dois pelo trabalho e fotos!

    Nana

    • Oi, Ana Maria!

      Agradeça, imensamente, à sua amiga pela simpática indicação! Muito obrigada!

      Ana, fico feliz em saber que nossos textos estejam ajudando você a escolher o que conhecer nessa cidade encantadora. Faço votos de que sua viagem seja tão bacana quanto foi a nossa! Volte sempre por aqui!

      Um grande abraço,

      Jana.

  2. Raoni Mattos disse:

    Bom roteiro. Tenho dificuldades de escolher o que conhecer em uma viagem e o texto de vocês é muito detalhado. É só imprimir e levar na mala!

    Raoni, a seu dispor.

    • Raoni, sempre tínhamos o hábito de publicar posts sobre cada lugar a conhecer isoladamente, mas dessa vez decidimos montar alguns roteiros, porque fica mais fácil visualizar onde cada lugar se encontra e o que fazer para otimizar a viagem, ao agrupar os atrativos. Espero que nossos roteiros ajudem em sua viagem!

      Grande abraço,

      Jana.

  3. XNetoGamerX disse:

    Blog top, amei!

  4. Thais disse:

    Ótimas dicas. Com muitos detalhes.
    Montreal está na minha lista.
    Estou adorando o blog.
    abç
    Thais


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: