Quando as temperaturas começam a subir em terras e águas brasileiras, é tempo de cruzeiros. Nos principais portos do país, navios vão chegando lentamente, trazendo viajantes de várias partes do mundo e recebendo outros para dar continuidade à viagem. Santos, Salvador, Rio de Janeiro, Búzios, esses são apenas alguns destinos visitados pelos grandes navios, ao cruzarem as águas brasileiras, trazendo novos cenários ao horizonte de quem permanece a observar o oceano a partir da praia.

Decerto pelo fascínio que o mar provoca em muitas pessoas, sabemos que o oceano por si só já é um convite suficiente para uma viagem, principalmente se levarmos em conta que ele será uma presença constante enquanto estivermos embarcados em um navio, por exemplo. Deve ser por isso que a procura por cruzeiros cada vez mais é consistente. Além de contar com a estrutura de um resort ou de um grande hotel, o viajante ainda se encanta com a possibilidade de amanhecer praticamente em um destino diferente, tendo sempre à sua janela – ou ao alcance dos olhos – a presença poderosa e viva do mar, que de tão profundamente belo já foi mote para escritores, poetas, pintores e músicos. O oceano é sempre um bom lugar para estar.

O mar é sempre um bom lugar para estar. Imagem: Erik Araújo

O mar é sempre um bom lugar para estar. Imagem: Erik Araújo

Recentemente, Erik e eu embarcamos em um cruzeiro de quatro dias no navio Splendour of the Seas, a convite da Royal Caribbean, cujo ponto de partida para nós foi Salvador, com parada no Rio de Janeiro, e destino de desembarque em Santos. Foi a nossa primeira experiência a bordo de um cruzeiro e estamos contando aos poucos o que vivenciamos, desde os “Preparativos de viagem para embarcar no Splendour of the Seas” – para quem, como nós, é “marinheiro de primeira viagem” e precisa de dicas básicas para entender um pouco a dinâmica de um cruzeiro – até tudo sobre a  “Estrutura e entretenimento oferecidos pelo navio” da Royal Caribbean. Depois de contarmos um pouco sobre o que viajante encontrará em um dos navios mais conhecidos da companhia, é hora de fechar a nossa série de posts sobre o cruzeiro com a parte mais gostosa – literalmente – da viagem: a gastronomia no Splendour of the Seas. Prepare-se para ficar com fome! =)

  • As experiências gastronômicas do Splendour of the Seas – Navegar é saboroso!

Apesar de termos embarcado em Salvador rumo a Santos, o Splendour of The Seas já vinha de uma longa viagem, cujo ponto de partida foi Barcelona. Com quinze dias de navegação, não só é preciso muita criatividade para manter todos a bordo animados – tenho que salientar que a equipe de entretenimento consegue esse feito –, como também é preciso manter o viajante satisfeito com algo que o toca – digamos assim – de forma profunda: com a comida.

A gastronomia é, inquestionavelmente, um ponto de extrema importância em uma viagem – assim como em nosso dia a dia. Ao redor da mesa, não só alimentamos o corpo, como também alimentamos as nossas relações afetivas, seja com a família, com os amigos ou com os nossos parceiros. Além de uma necessidade fisiológica, comer também é uma vivência social e lúdica. Sentar-se à mesa é um ritual e gera lembranças e histórias. Comer bem em um restaurante, experimentar preparações fantásticas, tudo são passagens que ficam registradas em nossa memória. Pensando nisso que a Royal Caribbean não só idealizou uma estrutura que desse conta da função primordial da alimentação – que é nutrir o corpo –, como também da função social e afetiva: comer bem faz qualquer ser humano mais feliz e dividir a mesa com companheiros de viagem é sempre uma festa! 😉

Preparem os talheres! Imagem: Erik Araújo

Preparem os talheres! Imagem: Erik Araújo

Para dar conta de todos os gostos – ou pelo menos de uma boa parte deles – e agradar o maior número possível de passageiros, o Splendour of The Seas reúne, a bordo, cinco restaurantes, além de cafés, lanchonetes e sorveteria. Além do restaurante principal – o Windjammer Café –, que funciona em sistema de buffet e onde são oferecidas as refeições principais inclusas no pacote (café da manhã, almoço e jantar), o navio ainda conta com quatro restaurantes de especialidades – todos a La Carte –, que são ótimas opções para quem quer dar uma “variada no cardápio” durante a viagem – seja ela longa, ou curta.

Entre os restaurantes de especialidade estão: o Izumi, especializado em gastronomia oriental, com destaque para seus deliciosos sushis; o Chops Grille, uma churrascaria que engloba desde carnes nobres a frutos do mar; o King & I Dining Room, com capacidade para acomodar até 991 pessoas, com cardápio A La Carte e buffet de saladas e, por fim, o fantástico Chef’s Table, que oferece um jantar intimista para apenas doze pessoas por noite, incluindo cinco pratos e harmonização de vinhos – que, para nós, é o ponto alto da gastronomia do navio.

Se você ficou curioso para ver o que cada um oferece, continue a ler o nosso post! 😉

  • Chefs Table
Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Em uma sala pequena, mas de tamanho suficiente para acomodar uma mesa de banquete com doze lugares, funciona o Chefs Table, um restaurante que oferece um jantar especial de cinco pratos gourmet – devidamente harmonizados com vinhos de várias partes do mundo –, que é uma verdadeira experiência sensorial para os foodies e amantes de gastronomia em geral.

Ao chegarmos ao local onde funciona/acontece o Chefs Table, todos os lugares dos participantes do jantar já se encontravam marcados e sinalizados com uma plaquinha. O jantar do qual participamos foi assinado pelo chef indiano Renato Costa, que nos presenteou com uma das noites mais saborosas e agradáveis a bordo do navio.

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Nosso jantar teve início com pãezinhos quentinhos e, em seguida, o confit de salmão com cauda de lagosta deu início, oficialmente, à nossa incursão gastronômica pelas preparações do chef indiano. Tanto os pães, como a entradinha estavam divinos!

Dando continuidade ao jantar, o chef preparou ainda um duo de consumés (um de pato; o outro de aipo – ambos deliciosos), acompanhados por um brioche, que, se não me engano, foi preparado utilizando gordura de pato em seu preparo também.

Chef Renato Costa, que assinou nosso jantar no Chefs Table. Imagem: Erik Araújo

Chef Renato Costa, que assinou nosso jantar no Chefs Table. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Harmonizado com vinhos tintos e brancos – da Itália, África do Sul e Canadá –, o jantar prosseguiu com vieiras e vitela ao molho de vinho. Cada prato, antes de chegar à mesa, era cuidadosamente apresentado pelo chef Renato Costa, que nos dava algumas sinalizações de como preparou cada uma das delícias servidas naquela noite. Para fechar o jantar, ainda foram servidos como sobremesa um parfait de pistache crocante com pera cozida e um delicioso mix de petit four – como já estava completamente satisfeita, acabei não me dedicando tanto ao parfait como deveria, afinal chocolate é sempre chocolate!

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Dentre todos os restaurantes que visitamos, sem dúvidas, o Chefs Table é o destaque. Com uma proposta harmoniosa de sabores, o jantar não só vale pela qualidade das preparações servidas e dos vinhos, como, e, principalmente, pela experiência de dividir a mesa com outras pessoas apaixonadas por gastronomia.

O jantar no Chefs Table custa US$ 95,00 por pessoa, mas também é oferecido um pacote (que acredito ser muito mais atraente) no valor de US$ 115,00, que inclui um jantar no Chefs Table, um no Izumi e mais uma noite no Chops Grille.

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chefs Table. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

  • Restaurantes de Especialidades

Chops Grille

Chops Grille. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Chops Grille. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

O Chops Grille, o restaurante de grelhados exclusivo da Royal Caribbean, é uma outra boa opção entre os restaurantes de especialidades, para quem quer fugir um pouco do buffet do Windjammer Café. Aconchegante e convidativo, o local é especializado em cortes nobres de carnes, mas também serve preparações à base de frutos do mar. Eu, por exemplo, escolhi de entrada um bolinho de siri e, como prato principal, lagostins grelhados. Erik escolheu um mix de grelhados e de sobremesa apostamos na torta de chocolate e de morango. O jantar no Chops Grille custa US$ 32,00 e inclui entrada, prato principal e sobremesa – bebidas à parte.

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

Jantar no Chops Grille. Imagem: Erik Araújo

 – Izumi

Para quem, como nós, é um grande apreciador de gastronomia japonesa ou de influência asiática, o Izumi, assim como o Chops Grille, surpreende. Servindo sushis, sashimis, pratos cozidos na pedra quente (ishi-yaki) a La Carte, o restaurante é uma opção agradável principalmente para as noites mais quentes a bordo do navio.

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Como os pratos são servidos a La Carte, o ideal é que se prove um pouco de cada. Como a mesa era composta por um grupo grande, pedimos várias preparações de forma que todos pudessem experimentar de quase tudo. Os camarões empanados e os rolls (os bolinhos de arroz com peixe e frutos do mar) são fantásticos e alguns deles possuem um toque apimentado, que torna os pratos ainda mais interessantes – em minha opinião, claro, que sou uma apreciadora de pimentas. Para jantar no Izumi, há uma taxa de serviço de US$ 3,00 no almoço ou US$ 5,00 no jantar e é preciso fazer a reserva previamente.

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Izumi. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

  • Outras opções de restaurantes

– King & I Dining Room

Além dos restaurantes de especialidades e do irretocável Chefs Table, o Spledour of the Seas ainda abriga mais dois restaurantes: o King & I Dining Room e o Windjammer Cafe. O King & I é um restaurante a La Carte, com um delicioso buffet de saladas, que é também uma ótima opção para quem queira dar uma variada nas refeições com o Windjammer. No menu, carnes, frutos do mar e massas, além de sobremesas. Não deixe de dar uma passada no buffet de saladas. Lá, você escolhe os ingredientes e os chefs montam uma salada fresquinha na hora para começar bem o almoço ou o jantar.

King & I Dining Room. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

King & I Dining Room. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

King & I Dining Room. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

King & I Dining Room. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

– Windjammer Café

O Windjammer é o restaurante principal do Splendour of the Seas e funciona, como citei anteriormente, em sistema de buffet. Lá são oferecidas as refeições principais inclusas no pacote (café da manhã, almoço e jantar), além de algumas bebidas igualmente inclusas, como alguns tipos de sucos, chás e água. Bebidas como refrigerante ou cerveja, por exemplo, são cobradas à parte (sem esquecer que tudo no navio é tarifado em dólar).

A variedade do Windjammer é grande em termos de preparações e inclui saladas, frios, pratos quentes (carnes, peixes, massas etc.) e sobremesas, que sempre englobam doces e frutas. Por a comida ser feita em escala, o sabor não é tão pronunciado como nos demais restaurantes, mas ainda assim é tudo fresquinho e bem feito.

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Windjammer Café. Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

 – Lanchinhos e drinks

Para cafés, lanches rápidos e sorvetes, o passageiro tem à sua disposição: o Solarium Café, que serve saladinhas, sanduíches, nachos, iogurte e tortinhas, localizado no Solarium (gratuito); o Park Café (gratuito); o Boardwalk Dog House, onde são servidos variados tipos de hot dogs (gratuito); o Ben & Jerry’s, que serve sorvetes (gratuito) e o Latte’tudes, para quem queira provar o autêntico café de Seattle.

Além de bons restaurantes e espaços para lanchinhos rápidos, o navio ainda reúne bares e lounges para garantir a diversão dos hóspedes/passageiros, como o Viking Crown Lounge/Disco; o 42nd Street Show Theater; o Casino Royale; o Top Hat Lounge; o R Bar e o Schooner Bar, onde acontecem também alguns shows e performances.

Hot dog com vista para o mar. Imagem: Erik Araújo

Hot dog com vista para o mar. Imagem: Erik Araújo

Lounge para um drink. Imagem: Erik Araújo

Lounge para um drink. Imagem: Erik Araújo

  • Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas

Depois de fazermos um “tour virtual” pelos restaurantes do Splendour of the Seas através de fotos, vamos aos bastidores gastronômicos do navio: a cozinha principal, onde tudo, literalmente, acontece. Guiados pelo Chef Henrique Sparrow, conhecemos os níveis da cozinha principal, responsável pela produção de grande parte das preparações servidas a bordo – exceto os pratos servidos nos restaurantes de especialidade e no Chefs Table.

No primeiro nível da cozinha, encontramos a área de panificação, responsável por toda a produção de pães do navio – ao todo, por dia, são preparados 16.000 pãezinhos de cebola, por exemplo. Além da panificação, conhecemos também o setor dedicado à montagem de saladas, sobremesas, mesa de prova (onde as preparações são provadas uma a uma pelo chef, para que os sabores possam ser ajustados), câmaras frias e de fermentação, área dedicada aos pratos quentes etc. A cozinha é, sem dúvidas, um outro mundo e ela fervilha durante o dia para dar conta das demandas de todos os passageiros e tripulação.

Chef Henrique Sparrow. Imagem: Erik Araújo

Chef Henrique Sparrow. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

A preocupação com a segurança dos funcionários e também do navio é grande. Nenhum dos fogões da cozinha do Splendour of the Seas funcionam com chamas. Tudo é preparado em cooktops e todos os equipamentos passam por uma checagem rigorosa de segurança, para minimizar a possibilidade de acidentes.

Na cozinha, há também uma visível hierarquia entre os chefs: do aprendiz ao chef mais experiente. Para identificá-los, uma espécie de colar de cores distintas mostra o percurso que um chef tem que trilhar até chegar ao topo da cozinha do navio. O colarzinho amarelo identifica o aprendiz; o azul, o chef de nível intermediário; o vermelho, o super chef! =P

Depois de passar quatro dias imersa nos sabores do navio, foi importante conhecer o espaço onde a “mágica” acontece. Mágica essa que é fruto de muito trabalho e sobretudo paciência. Cozinhas podem se tornar espaços bem caóticos, mas o importante é ver que as coisas lá funcionam bem e que há um cuidado grande com a segurança, mas principalmente com higiene, o que evita transtornos hospitalares depois! Ponto para eles!

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Visitando a cozinha principal do Splendour of the Seas. Imagem: Erik Araújo

Se você nos acompanhou nessa jornada gastronômica não deixe de ler também os nossos outros dois posts sobre a viagem a bordo do Splendour of The Seas. Aproveite que a temporada de cruzeiros no Brasil ainda não acabou e embarque em uma viagem tendo o mar como companhia constante e a certeza de que a gastronomia a bordo do navio, definitivamente, não decepciona! =)

Leia nossos outros posts sobre o Splendour!

>> Preparativos de viagem para embarcar no Splendour of the Seas
>> Estrutura e entretenimento oferecidos pelo Splendour of the Seas

  • Outras informações

– Site oficial da Royal Caribbean: http://www.royalcaribbean.com.br/

  • Agradecimentos

À Royal Caribbean pelo convite para participar dessa viagem e por nos dar a chance de vermos o mar por um outro prisma; a Lara Gianotti e Alexandre Tsuneta, da X Comunicação, pela confiança em nosso trabalho; aos amigos de viagem, que tornaram essa experiência ainda mais proveitosa: Antonia Toledo, a fofíssima Toninha; a queridíssima Zuleika, a Zu; Renata, do Tempere sua Viagem; Marcel e Aninha, do Programa de Viagem; JB, Marcel e Thiago, do Programa JB; Zarcillo; Samantha; Luiza; Renée e que eu não tenha esquecido de ninguém!!!

Siga o Jeguiando nas redes sociais:

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

6 Comentários

  1. Gerson Bravo disse:

    Deu fome ler isso!

  2. Brenda disse:

    Muito atraente! hahahaha

  3. Victória Campello disse:

    irei para esse navio a exatos 9 dias, no dia 01 de março.
    e estou muito ansiosa, venho acompanhando suas dicas há alguns meses já, e gostei muito!!
    muito obrigada, e assim que voltar darei notícias também sobre minha viagem.

  4. Fernando O. disse:

    Ótimo artigo! Viajarei pelo Splendour mês que vem e estava procurando uma review especialmente detalhada como esta! Vocês poderiam me informar se no restaurante Izumi, precisamos pagar essa taxa + os pratos a la carte ou apenas a taxa? Pode me passar uma noção de preço dos pratos? Estou curioso!


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: