Dicas e providências básicas para uma viagem internacional

Broker Brasil Corretora de Câmbio - Faça aqui sua cotação de câmbio e adquira seu Visa Travel Money!

Caros jeguiantes, como divulgamos recentemente, no dia 30 de setembro embarcaremos para a expedição Jeguiando across Canada, projeto idealizado em conjunto pela companhia de trens Via Rail; por Sheila Nassar, CEO da agência de marketing Vertebratta e diretora de contas da Via Rail e CTC no Brasil; e pelo blog Jeguiando; e que conta com o apoio da Comissão de Turismo Canadense e dez províncias; da companhia aérea Air Canada; da rede de hotéis Delta Hotels and Resorts e da corretora de câmbio Broker Brasil. Durante 31 dias, vamos imergir no cotidiano canadense, atravessando o país em diferentes trens da Via Rail – companhia de trens de passageiros nacional do Canadá, que transporta mais de quatro milhões de pessoas anualmente, tendo sido vencedora do RAC Safety Award, prêmio de segurança da Associação Ferroviária do Canadá – e mostrando que há outras formas prazerosas de cruzar uma nação, sem necessariamente utilizar estradas e voos domésticos.

O ritmo de uma viagem de trem é particular. Sem ter que assumir o volante nas estradas ou ter apenas as nuvens como companhia, o viajante desvenda o destino de uma forma atenciosa e é essa a vivência que buscaremos apresentar aos nossos leitores, além do perfil multifacetado do Canadá como um destino turístico relevante aos brasileiros (por suas paisagens cênicas; atrativos turísticos; manifestações culturais e por oferecer múltiplas experiências somente vivenciadas no país).

Enquanto a gente não cruza o Canadá de trem, damos dicas de planejamento para sua próxima viagem! Imagem: Via Rail

Enquanto a gente não cruza o Canadá de trem, damos dicas de planejamento para sua próxima viagem! Imagem: Via Rail

Prontos para por pé na estrada... Ops, nos trilhos! Imagem: Erik Araújo

Prontos para por o pé na estrada… Ops, nos trilhos! British Columbia, Canadá. Imagem: Erik Araújo

No entanto, para embarcarmos nessa longa viagem ao Canadá ou em qualquer viagem internacional, algumas providências básicas devem ser tomadas para que tudo possa fluir bem e sem contratempos. Confira então algumas dicas e passos essenciais que sempre seguimos e reunimos neste post para que você possa mergulhar tranquilamente em uma viagem para fora do seu país de origem.

  • Passaporte em dia:

Exceto para os países pertencentes ao Mercosul, viajar para fora do Brasil exige a apresentação de passaporte válido. Devido a um acordo existente entre alguns países da América do Sul, o viajante brasileiro pode adentrar em países como Argentina, Chile e Peru, por exemplo, apenas portando um RG emitido há menos de dez anos. Para as demais nações, não há como viajar apenas com a Carteira de Identidade.

Se você ainda não tem seu passaporte, o primeiro passo é dar entrada no processo de emissão. Para quem já tem o documento, mas este se encontra com a validade vencida, o processo de emissão e “renovação” é exatamente o mesmo. Para auxiliar nossos leitores nesta etapa, publicamos o post “Como renovar o passaporte“, que traz um passo a passo do que precisa ser feito para obter o documento.

Jegueton já está com passaporte e visto prontos para o Canadá. Imagem: Erik Araújo

Jegueton já está com passaporte e visto prontos para o Canadá. Imagem: Erik Araújo

  • Tirar o visto, quando necessário:

Há países que exigem visto para acesso em seu território; há países que não. No caso do Canadá, por exemplo, a exigência do visto para brasileiros ainda encontra-se em vigor, assim como o seu vizinho: os Estados Unidos. Antes de qualquer coisa, é necessário checar se o país para onde você irá viajar exige esse “ok” e, caso exija, é preciso procurar o consulado do país no Brasil e dar entrada no pedido.

  • Como levar dinheiro em uma viagem internacional:

Um dos grandes pontos de tensão de muitos viajantes encontra-se na forma de levar dinheiro para suas viagens internacionais. Devo levar em espécie? Adquirir um VTM (Visa Travel Money)? Utilizar um cartão de crédito internacional? Todas as formas são válidas, mas é preciso estudar a que melhor se adequa às suas necessidades e à sua realidade no momento.

Erik e eu, particularmente, adotamos sempre o uso do VTM (Visa Travel Money) – que funciona como um cartão de débito e que permite ao viajante também efetuar saques em ATMs, por exemplo – e nunca entramos em um país sem uma quantia razoável em papel para as necessidades dos primeiros dias. O cartão de crédito internacional fica literalmente para as emergências, não só pela cobrança do IOF, como também pela flutuação cambial. Se você der o azar do dólar ter um aumento enlouquecido no dia de fechamento de sua fatura, correrá o risco também de pagar praticamente o dobro por algo adquirido em uma cotação mais baixa, por exemplo.

Jegueton já está com seu VTM a postos, emitido pela Broker Brasil Corretora de Câmbio. #ap Imagem: Janaína Calaça

Jegueton já está com seu VTM a postos, emitido pela Broker Brasil Corretora de Câmbio. #ap Imagem: Janaína Calaça

>> VTM (Visa Travel Money):

Entre todas as formas de levar dinheiro para uma viagem, uma das mais seguras é, sem dúvidas, através de cartões pré-pagos do tipo Visa Travel Money. Além de não ter que se preocupar com a logística de viajar com uma grande soma de dinheiro em mãos – principalmente em viagens muito longas e para destinos não muito seguros –, o indivíduo consegue utilizar o VTM como um cartão de débito comum e pode efetuar saques. Ademais, não há risco de variação cambial contra a alta da moeda estrangeira; não ocorre incidência de 6,38% de IOF como ocorre com o cartão de crédito; é possível recarregar o cartão mesmo à distância e há possibilidade ainda de recompra do saldo garantida no distribuidor onde o cartão foi adquirido pelo valor de mercado.

Se você utilizar o cartão na função débito, taxas não são cobradas. Caso precise efetuar saques, no entanto, há uma tarifa debitada diretamente do saldo disponível do cartão no momento da transação. Alguns caixas podem também cobrar taxas adicionais e taxas em caso de saques realizados na moeda diferente da do cartão, já que alguns países oferecem esta opção. Desta forma, o melhor é sempre optar pela função débito e, levando-se em conta que a rede de aceitação Visa está presente em mais de 200 países e territórios e que há mais de 30 milhões de estabelecimentos credenciados, é raro não conseguir utilizar o cartão.

Em nossa viagem ao Canadá, por exemplo, mais uma vez adotamos o VTM, que foi emitido pela Broker Brasil Corretora de Câmbio, nossa corretora de câmbio e que acabou por se tornar também um dos nossos patrocinadores nesta viagem. De clientes, acabamos por firmar uma relação de parceria com a empresa. =)

Jegueton já está com seu VTM a postos, emitido pela Broker Brasil Corretora de Câmbio. #ap Imagem: Janaína Calaça

Jegueton já está com seu VTM a postos, emitido pela Broker Brasil Corretora de Câmbio. #ap Imagem: Janaína Calaça

>> Compra de papel (cédulas)

Na hora de comprar papel, cote! Foi pesquisando muito e cotando em várias casas de câmbio e corretoras, que acabei descobrindo a Broker Brasil Corretora de Câmbio. Acabamos nos tornando clientes da empresa pelos valores praticados – muito abaixo dos praticados em casas de câmbio comuns e muito próximos aos valores praticados em bancos – e, de clientes, nossa relação se estreitou ao passo de nos tornarmos parceiros (antes mesmo de firmar nossa parceria, Erik e eu já havíamos adquirido as cédulas canadenses lá, quando o dólar começou a dar mostras de que passava por grandes variações).

Para saber mais sobre a Broker Brasil:

Fonte da Imagem: http://experimentopiracicaba.files.wordpress.com/2012/02/eco-canadc3a1-foto.jpg?w=588&h=379

Fonte da Imagem: http://experimentopiracicaba.files.wordpress.com/2012/02/eco-canadc3a1-foto.jpg?w=588&h=379

>> Cartão de crédito internacional

É prático? É! Mas a taxa de 6,38% de IOF cobrada por transação dói e muito no bolso, além da surpresa ao descobrir que, no dia do fechamento da fatura, o dólar sofreu uma importante variação… para cima! Já passei por situações em que comprei um determinado item pelo preço x e paguei praticamente o dobro na fatura. Dessa forma, o cartão de crédito é super bem vindo em situações emergenciais.

  • Seguro ou Assistência de Viagem

Depois de decidir qual é a melhor forma de levar o dinheiro para sua viagem, é hora de cotar um seguro ou assistência de viagem.

Você pode viajar sem seguro para outro país? Em alguns casos até pode; em outros o seguro é obrigatório como em 28 países da União Europeia (Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, República Checa, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Suécia e Suíça), que exigem a contratação de uma apólice com cobertura mínima de € 30.000. No entanto, a dica é: sendo obrigatório ou não, nunca viaje sem seguro ou assistência.

Apesar de viajar ser uma quebra de rotina, não significa, no entanto, que o viajante torna-se imune a incidentes. Cair doente ou sofrer acidentes podem, sim, acontecer em uma viagem, assim como podem acontecer em nosso cotidiano. Além de doenças e acidentes, atrasos ou cancelamentos de voos ou perda de bagagem – fatos tão comuns – também fazem parte do hall dos probleminhas de quem viaja e não adianta pedir a proteção do anjo da guarda, porque ele pode também ter tirado férias assim como você.

  • Farmácia

Tão importante como o seguro ou assistência de viagem é a sua farmacinha. Nela, não podem faltar os remédios de uso contínuo do viajante; analgésicos; antigripal; antitérmico; remédio para enjoos e probleminhas intestinais; kit de curativo – com gaze, algodão, solução para limpar ferimentos, band-aid –; protetor solar; protetor labial (principalmente em locais frios ou muito secos), entre outros itens básicos, que sempre você encontra em uma casa.

Farmacinha do Jegueton. Imagem: Erik Araújo

Farmacinha do Jegueton. Imagem: Erik Araújo

  • Roupas e calçados adequados para o clima do destino

Antes de viajar para um destino, pesquise não só o seu clima como também o tempo durante os dias de sua estadia. Apesar de muitos viajantes acreditarem que clima e tempo são a mesma coisa, não é. “O tempo refere-se ao estado momentâneo que ocorre em um determinado local a partir do ar atmosférico, que pode se dar de maneira lenta ou rápida. Em diferença, o clima refere-se ao conjunto de condições atmosféricas que ocorrem em determinados locais de forma marcante” (Fonte: Mundo Educação).  Ou seja, o clima de um local pode ser tropical, o sol pode reinar, mas pode acontecer da temperatura cair a ponto de causar um desconforto e chuvas torrenciais pintarem, jogando “água no brinquedo” – e você só com umas rasteirinhas e camisetinhas sem manga na mala, hein?

Com relação a destinos muito frios, que incluem neve na parada, não dá para viajar acreditando na sua bota comum e no cardigã. Na neve, por exemplo, calçados comuns, que não sejam à prova d’água, simplesmente encharcam. Da mesma forma, casaquinhos finos e que não sejam à prova d’água também não suportam a neve. Além de frio, quando a neve derrete, você ganha de presente um visual ensopado e outros probleminhas bem mais sérios. Desta forma, antes de viajar para um destino frio e de neve, compre um calçado específico (tênis de trekking à prova d’água ou bota de neve); casacos e calças à prova d’água e, se o destino for agraciado por ventos cortantes, opte também por um casaco corta-vento.

Todo mundo feliz porque não congelou! Sun Peaks, BC, Canadá. Imagem: Jeguiando

Todo mundo feliz porque não congelou! Sun Peaks, BC, Canadá. Imagem: Jeguiando

  • Leve na mala somente o essencial

Todas as vezes que você vai arrumar a mala para uma viagem, principalmente se esta for internacional, rola um desespero porque você quer levar a casa junto? Desapegue-se! Não leve na mala duzentas mil mudas de roupa e uns dez pares de sapato. Você, certamente, não usará tudo isso, mas terá, de qualquer forma, que carregar o peso durante os deslocamentos e até pagar excesso na volta – caso você tenha exagerado também nas comprinhas.

Dica: leve peças versáteis, como jeans por exemplo, e calçados igualmente versáteis. Na minha mala, levo jeans, várias camisetinhas leves, um sapato mais pesado no pé e, no máximo, outros dois na mala (isso para um mês), além do “hardware” exigido em um destino de frio, por exemplo.

Como em nossa viagem ao Canadá, só poderemos viajar com bagagem de mão – uma mala de bordo e uma mochila –, porque há trechos de trens que não oferecem bagageiros para acomodar peças muito grandes, tivemos que exercitar o desapego total e nos ater somente ao básico. Atravessar um país, carregando malas do meu tamanho, é algo que está fora de cogitação.

Dicas extras: Referente à mala em si, não esqueça que: não é recomendável despachar itens de valor em sua mala, como eletrônicos, dinheiro e joias – tudo que é de valor deverá ir com você a bordo no avião –; com relação a cadeados, prefira os de padrão TSA, que muito provavelmente acabarão sendo obrigatórios no futuro, como já foi cogitado; para locomoção fácil, prefira malas de rodinhas, mesmo que você seja um amante das mochilas; para protegê-las, há serviços de “empacotamento” nos aeroportos para lacrá-las, assim como capas feitas para “vestir” sua bagagem  – há modelos, inclusive, que vêm com um espaço para cadeado para envolver o equipamento e assegurar que este não seja arrombado. Recentemente, a NCosturas nos enviou uma capa para teste (esta exposta na foto logo abaixo) e vamos utilizá-la durante a viagem ao Canadá, para ver se ela protege mesmo o nosso pequeno e condensado armário com rodinhas. =)

Mala do jegueton já pronta e protegida pela capa enviada pelo pessoal da NCosturas. Imagem: Erik Araújo

Mala do jegueton já pronta e protegida pela capa enviada pelo pessoal da NCosturas. Imagem: Erik Araújo

  • Conhecer aspectos da cultura do país é fundamental

Antes de fazer uma viagem para outro país, pesquise um pouco sobre sua língua e cultura. Não podemos adentrar uma outra nação sem nos preocuparmos com um conceito básico: o de alteridade. Ler um pouco sobre a história do lugar, aprender um pouco dos seus costumes e o básico da língua do outro te tornará um viajante que cometerá menos gafes e mostrará ao outro uma abertura para que trocas sejam feitas. Não há nada mais triste do que ver um indivíduo tentando impor sua cultura, sua língua ao outro, sem que haja um esforço mínimo para a compreensão das diferenças existentes. Vivemos em um mundo plural e que deve ser interpretado como tal. Apesar de, infelizmente, fazermos parte da geração Coca-Cola e Mc Donald’s, que a tudo tenta padronizar, é necessário não perder de vista que nem tudo pode ser encarado como garrafas dispostas em uma linha de série.

Jegueton planejando a viagem. Imagem: Janaína Calaça

Jegueton planejando a viagem. Imagem: Janaína Calaça

Apesar do planejamento de uma viagem internacional envolver uma série de outros aspectos, como passagens aéreas, reserva de hotéis, passeios, locomoção pela cidade, roteiros, entre outros pontos, tentamos trazer o básico para a viagem começar bem. Algumas são dicas essenciais, outras são pontos simples de observação, mas o certo é que quanto mais atentos aos detalhes no momento que antecede a viagem, mais simples ela se torna depois.

Mas, enquanto você não decide qual será seu próximo destino fora do Brasil, aproveite para acompanhar nossa viagem de trem pelo Canadá e, quem sabe, embarcar para este destino fascinante nas suas próximas férias. =D

O Jeguiando across Canada é uma realização da Via Rail; uma ação estratégica de marketing desenvolvida pela Vertebratta; e contou com o apoio da Comissão de Turismo Canadense, Air Canada, Delta Hotels and Resorts e da corretora de câmbio Broker Brasil.

patrocinio

Agradecimentos especiais:

Além do apoio de nossos patrocinadores e parceiros nesta expedição, agradecemos também o apoio que receberemos das cidades e províncias canadenses de Halifax, Quebéc City, Montréal, Toronto, Winnipeg, Banff, Lake Louise, Jasper, Whistler e Vancouver durante nossas paradas.  =)))

Siga o Jeguiando nas redes sociais e acompanhe o projeto Jeguiando across Canada:

Conheça os patrocinadores e parceiros do projeto:

Via Rail (Realização e Patrocínio)

Broker Brasil Corretora de Câmbio (Patrocínio)

Comissão de Turismo Canadense (Apoio)

Delta Hotels (Apoio)

Air Canada (Apoio)

Vertebratta (Idealização/Projeto)

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

2 Comentários

  1. Já estive neste maravilhoso país! O Canadá é um país muito aberto a novas culturas e isso foi o que mais me atraiu…
    Na costa oeste recomendo a cidade de Tofino, na ilha de Vancouver. No lado leste, Montreal, sem dúvida, é a melhor cidade deste país!!

    boa viagem!! voltem com muitas estórias, por favor! =)


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: