Segundo maior país do mundo em território (o primeiro é a Rússia) e banhado por três oceanos (Atlântico, Pacífico e Ártico), o Canadá é uma nação de dimensões continentais, o que para muitos significa, essencialmente, ser difícil de conhecer (guarde essa informação para depois!). Durante o período colonial, grande parte do país era inabitado e, devido aos invernos rigorosos, as viagens eram difíceis, assim como a própria sobrevivência (era preciso estocar alimentos durante vários meses para enfrentar os meses do inverno, que geralmente vinham acompanhados de muita neve).

Devido à vastidão de seu território, muitos grupos populacionais ficavam isolados durante a estação mais fria do ano e havia uma necessidade grande de conectar esses agrupamentos de pessoas, até para que o país pudesse crescer economicamente. Mais unidade e coesão implicam em mais força em prol do desenvolvimento. Sendo assim, para unir as pontas dessa nação de dimensões continentais, as ferrovias canadenses começaram a ser construídas.

  • Um breve panorama sobre a construção das ferrovias no Canadá, sua importância para o desenvolvimento do país e a fundação da Via Rail

No século XIX, mais precisamente em 1836, “o primeiro trem público começou a trafegar entre Saint Jean Sur e La Prairie, perto de Montréal, e impulsionou o crescimento do país em todos os sentidos. Trens passaram a transportar passageiros e mercadorias por todo o continente e cidades evoluíram em torno das estações de trem. Fábricas e indústrias surgiram em cidades como Montréal, Toronto e Vancouver” e o país, que parecia impossível de conectar devido à sua vastidão, conectava-se aos poucos, estreitava distâncias e desenhava, cada vez mais, algum traço de unidade – mesmo com as diferenças provenientes dos distintos tipos de colonização: francesa e inglesa, primordialmente (Fonte da citação: http://canadadetrem.com.br/via-rail/historico/).

trajets_Canada_en

Ainda no século XIX, foram fundadas a Gran Trunk Railway Company (em 1852), que antecedeu a criação da CN (Canadian National Railways – especializada em transporte de cargas) e a Canadian Pacif Railway (1881), que tornou-se a primeira ferrovia transcontinental do Canadá, tendo sido, por muitas décadas, o único meio de transporte de longa distância para várias regiões do país.

Apesar da criação das ferrovias terem contribuído de forma inquestionável para o desenvolvimento do país, durante a década de 50, principalmente, com a introdução maior dos automóveis no cotidiano e o aperfeiçoamento e abertura de novas estradas, as ferrovias passaram a entrar em decadência e as companhias Canadian Pacific e Canadian National Railway sinalizavam, já na década de 60, o desejo de abandonar o transporte de passageiros – posto que muitos preferiam viajar pelas estradas – e focar suas atividades no transporte de cargas.

Para impedir que a utilização das ferrovias como forma de viajar pelo país morresse e que os trilhos passassem apenas a servir ao transporte de cargas, a Via Rail foi criada em 1977 pelo governo do Canadá. Desta forma, retomando as duas primeiras linhas desse texto, apesar do país possuir dimensões continentais, a Via Rail não só conseguiu resgatar as ferrovias para o cotidiano canadense de uma forma mais presente, como também conseguiu conectar a nação de costa a costa, de leste a oeste, de Halifax a Vancouver. Hoje, a companhia opera mais de 500 trens por semana em 12.500 quilômetros de ferrovias, servindo 450 comunidades em todo o Canadá e, a meu ver, mais do que criar uma opção de transporte para passageiros, a fundação da Via Rail foi um ato em prol da manutenção da memória.

The Ocean, que liga Halifax a Montréal. Imagem: Erik Araújo

The Ocean, que liga Halifax a Montréal. Imagem: Erik Araújo

O trem seguindo pelos trilhos no outono. Imagem: Erik Araújo

O trem seguindo pelos trilhos no outono. Imagem: Erik Araújo

  • De leste a oeste, como o Canadá se conecta através dos trens?

Um dos pontos que podem gerar dúvidas em alguns viajantes é: existe apenas uma linha ligando todo o Canadá? Não, não há. São várias as linhas, vários os trechos, mas, para fins didáticos, esses trechos foram agrupados da seguinte forma: Atlantic Canada; Rockies and Pacific; Prairies and Northern Manitoba e Ontario e Quebec.

Na primeira metade de nossa viagem, partimos de Halifax rumo a Montréal a bordo do The Ocean e pegamos o trecho intitulado de Atlantic Canada (cujo ponto de partida é a província da Nova Scotia, banhada pelo Oceano Atlântico).

Depois que desembarcamos em Montréal, o próximo trecho de nossa aventura foi o Ontario e Quebec, que liga as duas províncias através de um grande leque de linhas (veja todos os trechos operados aqui), sendo que deste emaranhado de conexões, nós pegamos três (de Montréal a Québec City; de Québec City a Montréal e de Montréal a Toronto). Esses trens eram chamados de The Corridor, que, ao contrário do The Ocean, cuja viagem dura mais ou menos um dia, é caracterizado por operar trechos mais curtos, de três horas de viagem em média.

O trecho conhecido como Prairies and Nothern Manitoba engloba o trem The Canadian (meu xodó), que liga Toronto a Vancouver, e os trens que levam os passageiros aos territórios do Norte (meu sonho de vida), partindo de Winnipeg a Churchill e de Winnipeg a Pas-Pukatawagan.

Por fim, temos o trecho Rockies and Pacific (o de paisagens de tirar o fôlego), que engloba o The Canadian (ligando Toronto a Vancouver) e os trens que ligam Jasper (ah, Jasper, coisa linda!) a Prince Rupert.

Tirando os territórios do Norte, testamos um pouco de cada trecho. Experimentamos o The Ocean; o The Canadian e o The Corridor e atravessar o Canadá nunca pareceu tão fácil. =)

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

Recentemente mostramos como é viajar pelo The Ocean, que faz parte do trecho intitulado de Atlantic Canada e que liga Montréal a Halifax. Hoje, falaremos então de mais um trecho operado pela Via Rail – o Ontario e Quebec, conectado pelos trens designados de The Corridor. Nesse trecho, como sinalizamos, pegamos três trens (quase um trava-língua!!!): de Montréal a Québec City; de Québec City a Montréal e de Montréal a Toronto. Veja como foi viajar em cada um dos trechos. =)

  • De Montréal a Québec City: A bordo do The Corridor, na Economy Class
stação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Erik Araújo

Assim que desembarcamos do The Ocean na estação de trens da Via Rail em Montréal, procuramos um lugar para almoçar, pois viajaríamos na Economy Class do The Corridor, no trecho que nos levaria até Québec City. Em nosso projeto de cruzar o Canadá – o Jeguiando Across Canada –, uma de nossas premissas era testar as variadas opções que um viajante tem à sua disposição para se deslocar pelo país, seja na classe econômica, seja na classe executiva ou nos sleepers cars. Tentamos testar de tudo um pouco para termos um panorama da experiência no final.

Estação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Janaína Calaça

Estação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Janaína Calaça

>> Estrutura da estação de trens da Via Rail em Montréal

Um dos pontos que se destacam com relação à Via Rail é que a companhia não oferece apenas uma boa estrutura para os viajantes no interior dos trens. Nas principais estações do Canadá, como Halifax, Montréal, Québec City, Toronto e Vancouver, o visitante conta com uma estrutura que se assemelha muito a dos aeroportos: vários restaurantes e cafés, locais para sacar dinheiro, balcão de turismo e de locação de carro, lojinhas etc. Nas cidades menores, com estações bem menores, ainda assim os espaços contam sempre com uma estrutura básica para atender aos viajantes.

Como disse, aproveitamos o tempo de espera entre o desembarque do The Ocean e o embarque no The Corridor para almoçar. Ao contrário, no entanto, do que acontece nos aeroportos de nosso país (infelizmente), você consegue comer bem sem pagar muito caro pelas refeições. Pagamos, na estação, o preço muito próximo aos dos restaurantes fora do espaço.

Estação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Janaína Calaça

Estação de trem da Via Rail em Montréal. Imagem: Janaína Calaça

>> Hora do embarque

Outro ponto bacana sobre viajar de trem é que não é preciso chegar com horas de antecipação para embarcar, o que gera cansaço nas pessoas invariavelmente. Quem chega com uma hora ou quarenta minutos de antecedência tem tempo suficiente para tomar um café; despachar a mala (se for o caso – a Via Rail é exigente quando o assunto é peso e dimensões das malas –); entrar na fila para apresentar seu bilhete e embarcar (se você comprar seu bilhete pela internet, basta imprimir e apresentar, como já fazemos nos aeroportos). Se você comprar o trecho na Business Class, em algumas estações há uma área VIP, onde você pode esperar para ser chamado, sem ter que pegar fila.

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

Pela janela do trem. Imagem: Erik Araújo

>> A bordo do The Corridor, na Economy Class

– Bagagem

Como Erik e eu estávamos viajando com uma mala de mão e uma mochila, não tivemos muitos problemas para acomodar nossa bagagem. Há um espaço para depositar as malas na entrada da maioria dos vagões. Caso o trem esteja cheio e não haja mais espaço, você consegue acomodar seus itens embaixo da poltrona.

The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

– Wi-fi a bordo

Em todos os trens do The Corridor, que ligam Ontario e Québec, há Wi-fi a bordo, ou seja, você pode continuar on-line se precisar e quiser. Como são trechos mais curtos e muitas pessoas viajam a trabalho, a iniciativa de trazer internet a bordo facilitou e muito a vida de quem necessita estar conectado por questões profissionais – como nós, por exemplo.

The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

– Espaço interno entre as poltronas

Como é visível, Erik e eu somos gordinhos e gordinhos geralmente sofrem quando precisam se deslocar no mundo, seja do jeito que for. Por sorte, os trens são confortáveis, há muito espaço entre uma poltrona e outra para esticar as pernas e as unidades mais novas possuem mesas frontais, muito mais funcionais e confortáveis que as laterais, onde dá para trabalhar em paz se você precisar.

Trabalhando no The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

Trabalhando no The Corridor, Economy Class. Via Rail. Trecho de Montréal a Québec City. Imagem: Erik Araújo

– Serviço de bordo

Na Economy Class, não há refeições inclusas, nem lanches, mas você pode adquirir snacks no trem. Durante o trajeto, são servidas, no entanto, bebibas como café, água e refrigerante. Não esqueça de levar algo para beliscar caso não queira adquirir os lanches vendidos nos vagões.

Ótimo espaço interno e para as pernas até para gordinhos como nós! Imagem: Erik Araújo

Ótimo espaço interno e para as pernas até para gordinhos como nós! Imagem: Erik Araújo

>> Outras observações

De Montréal a Québec City, são, ao todo, 3 horas e 22 minutos de travessia, um trecho considerado curto. Para tornar a viagem mais agradável, leve uma câmera para registrar as paisagens; revistas ou livros para passar o tempo e aproveite também para relaxar e curtir a viagem. =)

Para adquirir o trecho de Montréal a Québec City, basta acessar o site da Via Rail (http://www.viarail.ca/) ou comprar as passagens diretamente na estação.

– Localização da Estação de trens da Via Rail em Montréal: 895 de la Gauchetiere West. Montréal, QC, H3B 4G1, Canada.

– Tel.:

Chegadas e partidas: (888) 842-7245.
Informações e reservas: (514) 989-2626.
Achados e perdidos: (514) 871-7761 .

  • De Québec City a Montréal: A bordo do The Corridor, na Business Class
Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Se alguém me perguntasse qual das estações de trem de onde partimos é a minha preferida no Canadá, sem dúvidas, eu citaria a de Québec City. Na minha opinião é uma das mais agradáveis, bonitas e tem muito a ver com a própria cidade e com sua arquitetura. Eu considero esta estação, inclusive, um atrativo turístico. =)

Depois de passarmos dois dias em  Québec City (chegamos no dia 5 e fomos embora no dia 7 de outubro), pegamos o trem na estação da Via Rail na cidade rumo a Montréal, dessa vez viajando na Business Class.

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Bagagem

Assim como na Economy Class, é preciso estar atento às dimensões e ao peso das bagagens. Você pode viajar a bordo com uma mala e uma mochila, por exemplo, com o máximo de 11,5 kg cada item. Passou disso, suas malas precisam ser despachadas. Há um espaço para depositar as malas na entrada da maioria dos vagões, que acomodam malas de bordo e mochilas, mas pode acontecer de não haver espaço para todos, caso o trem fique cheio.

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

– Espaço interno entre as poltronas

Assim como o trecho entre Montréal a Québec City, o trecho do The Corridor de Québec City a Montréal foi tranquilo quando o assunto é espaço para sentar e para as pernas. Também nesse trem, havia mesas frontais para trabalhar e fazer as refeições.

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

– Wi-fi a bordo

Como mencionei anteriormente, todos os trens do The Corridor, que ligam Ontario e Québec, oferecem Wi-fi a bordo, seja na Economy Class ou na Business Class.

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

The Corridor, de Quebéc City a Montréal. Imagem: Erik Araújo

– Serviço de bordo

Na Business Class, as refeições estão incluídas nas tarifas. Como pegamos o trem às 12:45, experimentamos o serviço de bordo na hora do almoço, que conta com entrada, prato principal e sobremesa, além de bebidas variadas, que incluem vinho branco e vinho tinto.

Serviço de bordo da Business Class da Via Rail no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class da Via Rail no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

Antes de servir a refeição, os comissários trazem pão, manteiga e as bebidas. Tivemos a sorte de sermos atendidos por uma comissária muito simpática, a Ellen, que estava aprendendo a falar português e ficou animadíssima por sermos do Brasil! Ela aproveitou para colocar o português em dia, que sempre pratica com um amigo brasileiro, e tornou a viagem ainda mais bacana para nós! Obrigada, Ellen! =)

Mas, voltando ao serviço de bordo, geralmente são oferecidas duas opções de prato principal: uma carne ou uma massa. Eu aprendi na vida que, em termos de serviço de bordo, se estiver na dúvida, aposte na massa! Raramente me arrependo!

Entrada e sobremesa. Lasanha vegetariana. Business Class do The Corridor, da companhia de trens Via Rail. Imagem: Janaína Calaça

Entrada e sobremesa. Lasanha vegetariana. Business Class do The Corridor, da companhia de trens Via Rail. Imagem: Janaína Calaça

Lasanha vegetariana. Business Class do The Corridor, da companhia de trens Via Rail. Imagem: Janaína Calaça

Lasanha vegetariana. Business Class do The Corridor, da companhia de trens Via Rail. Imagem: Janaína Calaça

Só para situar, eu pedi uma lasanha vegetariana (que estava muito boa, por sinal) e o Erik pediu uma carne. De entradinha, tivemos uma salada de arroz selvagem com queijo feta e de sobremesa uma torta à base de Mapple. Para acompanhar, vinho à vontade. Depois da refeição, ainda é servido um cafezinho acompanhado por um chocolate. Em comparação a muitos serviços de bordo que já provei na vida, os trens estão ganhando disparado por enquanto! ><

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

>> Outras observações

De Québec City a Montréal, são, ao todo, 3 horas e sete minutos de travessia.

Para adquirir o trecho de Québec City a Montréal, basta acessar o site da Via Rail (http://www.viarail.ca/) ou comprar as passagens diretamente na estação.

– Localização da Estação de trens da Via Rail em Québec City: 450 rue de la Gare du Palais, Québec, QC, G1K 3X2, Canada.

– Tel.:

Chegadas e partidas: (888) 842-7245.
Informações e reservas: (514) 842-7245.

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor, Via Rail. Imagem: Erik Araújo

  • De Montréal a Toronto: A bordo do The Corridor, na Business Class

Depois de dois trechos viajados no The Corridor, já estávamos mais do que ambientados aos trens e à sua dinâmica, mas acabamos por pegar uma composição mais antiga no trecho entre Montréal a Toronto, que possui algumas particularidades em relação aos demais.

– Bagagem

O item bagagem continua exatamente o mesmo. As mesmas restrições em relação às dimensões e ao peso das malas continua valendo (limite de 11,5 kg), mas, no interior das composições mais antigas, há mais bagageiros – tanto os coletivos, localizados na entrada de cada vagão, como os posicionados acima das poltronas. Consegui, inclusive, colocar minha mochila nele, além do casaco costumeiro.

Equipe de comissários da Via Rail de Montréal a Toronto. Imagem: Erik Araújo

Equipe de comissários da Via Rail de Montréal a Toronto. Imagem: Erik Araújo

– Espaço interno entre as poltronas

O espaço interno entre as poltronas nas composições mais antigas continua sendo grande, apenas a posição das mesinhas é que muda. Em vez de mesas frontais, as mesinhas são laterais. Para quem é magro, é tranquilo. Para os gordinhos, fica um pouquinho mais complicado, mas nada que te impeça de fazer as refeições. Só fica mais difícil mesmo para trabalhar no notebook, porque nossas barriguinhas brigam por espaço com o computador. =D

Algo diz que está na hora de entrarmos em uma dieta! =P Imagem: Janaína Calaça

Algo diz que está na hora de entrarmos em uma dieta! =P Imagem: Janaína Calaça

– Wi-fi a bordo

Seguindo os padrões dos trens do The Corridor, a composição que pegamos entre Montréal a Toronto também oferece Wi-Fi a bordo para os passageiros.

– Serviço de bordo

Seguindo também os padrões do serviço de bordo dos trens do The Corridor, que fazem a ligação entre a província de Québec City a Ontário, a refeição servida inclui três pratos: entrada, prato principal e sobremesa.

No trecho entre Montréal a Toronto, veio um carpaccio de salmão como entradinha e uma torta à base de Maple como sobremesa. Como prato principal, pedi o Raviole (e novamente não me arrependi!). Depois da refeição, novamente um café e chocolate foram servidos.

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor entre Montréal e Toronto. Imagem: Erik Araújo

Serviço de bordo da Business Class do The Corridor entre Montréal e Toronto. Imagem: Erik Araújo

Raviole. Serviço de bordo da Business Class do The Corridor entre Montréal e Toronto. Imagem: Erik Araújo

Raviole. Serviço de bordo da Business Class do The Corridor entre Montréal e Toronto. Imagem: Erik Araújo

>> Outras observações

De Montréal e Toronto, são, ao todo, 5 horas e 25 minutos de travessia (foi o trecho mais longo que pegamos no The Corridor).

Para adquirir o trecho de Montréal a Toronto, basta acessar o site da Via Rail (http://www.viarail.ca/) ou comprar as passagens diretamente na estação.

– Localização da Estação de trens da Via Rail em Toronto: Union Station, 65 Front Street West, Toronto, ON, M5J 1E6, Canada.

– Tel.:

Chegadas e partidas: (888) 842-7245.
Informações e reservas: (514) 842-7245.
Achados e perdidos: (416) 956-7639.

Último trecho nosso no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

Último trecho nosso no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

Último trecho nosso no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

Último trecho nosso no The Corridor. Imagem: Erik Araújo

  •  Viajando sobre trilhos: um mergulho na memória

Depois que tive acesso à história das ferrovias no Canadá e consegui mensurar a importância que os trens tiveram para o desenvolvimento do país e para a interligação de suas províncias e cidades, não só passei a respeitar ainda mais as ferrovias canadenses, como também a própria iniciativa do governo em implantar um processo de revitalização do modelo de viagem sobre trilhos com a criação da Via Rail.

Apesar das ferrovias terem sofrido um processo de decadência entre as décadas de 50 e 60, devido ao barateamento dos automóveis e às melhorias das rodovias, o que fez com que as duas principais companhias de trens decidissem suspender suas operações em relação ao transporte de passageiros e centrar a atenção no transporte de cargas, o governo canadense conseguiu intervir e evitar que as ferrovias morressem para o cidadão comum, que necessita se deslocar de um lado a outro em seu país. Apesar dos aviões serem mais rápidos e viajar de carro ainda confere um grau maior de independência, viajar de trem pelo Canadá é entrar em contato com suas raízes, com sua memória, com seu processo de crescimento. Viajar de trem é resgatar os primeiros anos de construção da identidade do país, que, mesmo lidando com dimensões continentais, conseguiu atar suas pontas através dos trilhos. A experiência é válida e diz muito da alma dessa nação: a de não esquecer o seu passado e trazê-lo sempre para a vivência no presente.

Viaje de trem como a gente! =) Imagem: Erik Araújo

Viaje de trem como a gente! =) Imagem: Erik Araújo

  • Parceiros e patrocinadores

patrocinio

  • Agradecimentos especiais:

Agradecemos à Via Rail por apoiar a expedição Jeguiando across Canada e o apoio de Halifax, Quebéc City, Montréal, Toronto, Winnipeg, Banff, Lake Louise, Jasper, Whistler e Vancouver durante nossas paradas. =)))

Siga o Jeguiando nas redes sociais e acompanhe o projeto Jeguiando across Canada:

Conheça os patrocinadores e parceiros do projeto:

Via Rail (Realização e Patrocínio)

Broker Brasil Corretora de Câmbio (Patrocínio)

Comissão de Turismo Canadense (Apoio)

Delta Hotels (Apoio)

Air Canada (Apoio)

Vertebratta (Idealização/Projeto)

 

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

8 Comentários

  1. Sheila Nassar disse:

    SENSACIONAL este post. Está difícil escolher mais palavras. Parabéns!!!

  2. Beatriz Alvarenga Teixeira disse:

    Janaína e Erik, primeiramente parabéns pelo post! Estou indo para o Canadá para um intercâmbio no próximo ano e gostaria de saber se posso viajar sozinha de trem. É seguro para mulheres se deslocar por algumas cidades de trem?

    Beijinhos, Bia.

    • Olá, Beatriz. Tudo bem?

      Beatriz, os trens são perfeitamente seguros para mulheres, assim como para idosos tb: The Ocean, The Corridor e The Canadian. O Canadá, em si, é um país bastante seguro , então pode viajar tranquila. =)

      Grande abraço,

      Jana.

  3. Kleber Srbek disse:

    Caras, sensacional o post. Estou de viagem marcada para o canadá. passarei 14 dias visitando Montreal, Toronto, Otawa e Quebec. Estou verificando as passagem pelo site da Via Rail e encontrei na opção multy citys o valor de $300 dolares para os trechos Montreal/Toronto/Otawa?Quebec. Vc acha o preço aprazivel? Vc acha que eu posso achar alguma promoção mais proximo da data da viagem? existe algum mês q

  4. Luiz Antônio disse:

    Excelente trabalho! Obg. Estamos indo para Canada, minha esposa, filha de 5 anos e eu. Seguiremos o roteiro Toronto a Cidade de Quebec de trem e na volta estamos em dúvida de viremos em vôo direto de Quebec para Toronto ou vir de trem considerando que neste ultimo dia de viagem embarcaremos as 23:00 em Toronto para São Paulo e planejamos sair de Quebec as 10 ou 11hs.

    • Erik PZado disse:

      Oi Luiz, o grande ponto de consideração nesse caso é o volume de bagagens que trarão ao fim da viagem. Caso tenham um volume “grande”, considere a opção aérea. Ela será mais direta já que nesse trecho será necessário valer-se de 2 trens. 😀
      Ótima viagem!

  5. Lucas disse:

    Olá!
    Parabéns pelo post. Nunca viajei de trem pelo Canadá e estava procurando algo exatamente assim sobre essa rota. Gostaria de perguntar se, no final, vcs recomendariam, para esses mesmos percussos a classe econômica ou a executiva? Sei que é muito individual mas, enfim, vcs acham que a diferença de $$ compensa a diferença dos serviços??
    Muito obrigado!

  6. Jamile disse:

    olá ,

    estou indo final de setembro e eu preciso de informacoes sobre os trens
    minha ideia é toronto- otawa-montreal- quebec
    e depois pegar aviao para nova york ?
    quais os nomes das estacoes centrais dessas cidades para nao ter erro já que comprarei aqui do BRASIL?


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: