Bonito, MS (Parte VII) – Flutuação no Rio da Prata


Entre memórias e muitas fotografias, entre lembranças de dias tranquilos, solares e pontuados de muito aconchego, hoje escrevo sobre um dos passeios mais bacanas que fiz nesta viagem: a flutuação no Rio da Prata, que banha o recanto ecológico do Rio da Prata em Jardim, localizado a cerca de 51 km de Bonito. Acho que a combinação águas cristalinas + dia de sol + pessoas divertidas do grupo tornaram esta uma das experiências mais gostosas que trouxe desta viagem ao Mato Grosso do Sul, que aconteceu graças ao convite e à mobilização de nossos parceiros: o Bonito Web, portal especializado em três grandes passeios oferecidos pela cidade (Rio da Prata; Estância Mimosa e Lagoa Misteriosa); a agência de viagens Ygarapé Tour, que montou todo nosso roteiro, de forma que a sensação que tivemos foi que aproveitamos muito, apesar dos poucos dias que tínhamos disponíveis e o COMTUR, que, através da Secretaria de Turismo, nos deu todo suporte em terra.

Estância do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Recanto Ecológico Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

  • Recanto Ecológico Rio da Prata

– A casa

Estância do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Recanto Ecológico Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Nosso passeio começou cedinho para o Rio da Prata. Sei que tem muita gente que não gosta de acordar cedo, mas adianto que todo esforço vale a pena. Pegamos o primeiro horário para fazer a flutuação, o que significa que as águas estão mais cristalinas, devido à pouca movimentação de sedimentos. Fora que, quanto mais cedo você faz a trilha e desce o rio, o sol ainda não estará a pino, o que facilita bastante as coisas.

Estância do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Recanto Ecológico Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Chegamos no Recanto Ecológico Rio da Prata, sede do passeio onde o visitante pega todo o equipamento necessário e obrigatório para fazer a flutuação, assinar seguro e para onde todos voltam após o passeio para almoçar, relaxar nas redes ou simplesmente caminhar e aproveitar a estrutura da estância.

Fauna e flora se reúnem na Estância do Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Fauna e flora se reúnem no Recanto Ecológico Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Por dentro da casa: Aconchego, boa comida e artesanato

Interior da casa. Estância do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Interior da casa. Recanto Ecológico Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Além das enormes mesas de madeira que circundam toda varanda da casa, das redes de couro, de tudo mais que lembre fazenda, paz e sossego, a casa, por dentro, traz muitos cantinhos para visitar e presentear os olhos. Como sou amante de artesanato, tive muito tempo para observar as peças produzidas por bonitenses e pantaneiros, algo para levar para casa e ser adicionado às lembranças de vida.

Por dentro da casa. Estância do Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Por dentro da casa. Recanto Ecológico Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

O almoço servido na casa já está incluído no valor do passeio. Boa comida caseira, servida quentinha, com aquele toque de casa de fazenda. Para facilitar o contato entre as pessoas, as mesas grandes de madeira são um convite para reunir grupos distintos e fazer amigos.

Artesanato bonitense na Estância do Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Artesanato bonitense e pantaneiro no Recanto Ecológico Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

  • Equipamentos e instruções para a flutuação no Rio da Prata

Antes de partirmos para a flutuação no Rio da Prata, a nossa guia passou todas as instruções necessárias. Mais tarde publicarei um post completo em que falarei sobre a importância dos guias em Bonito e por que sem eles não há como fazer os passeios. A nossa guia em Bonito foi a Chris, por quem desenvolvemos muito carinho e respeito, principalmente por sua trajetória e competência. Quem estiver com viagem marcada, procurem a Chris como guia. Vale a pena!

Guia Chris dá as instruções para flutuação no Rio da Prata. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Guia Chris dá as instruções para flutuação no Rio da Prata. Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

– Instruções gerais

A nossa guia apresentou o mapa de toda a estância, de onde partiríamos, a trilha de aproximadamente 2 km que faríamos até chegar ao Olho D´água, o trajeto de flutuação no rio etc. As instruções gerais dadas foram: não usar bloqueador solar para não contaminar as águas; não bater as pernas para não levantar sedimentos; não pisar o fundo do rio, devido à vegetação; sempre nadar em fila indiana etc.

Janaína Calaça, Jegueton, Erik Pzado, Luizão, Rita e Carina, do Bonito Web.

Janaína Calaça, Jegueton, Erik Pzado, Luizão, Rita e Carina, do Bonito Web.

– Equipamentos necessários para a flutuação

Após as instruções da nossa guia, foram entregues para nós todo o equipamento necessário para o passeio: neoprene para a flutuação, sapatos especiais, máscara e snorkel. Todo equipamento está incluso no valor do passeio. Nossa roupa e pertences são depositados em sacolas e entregues a nós ao fim do passeio, portanto não se preocupe e curta a travessia. A troca de roupa deve ser feita nos vestuários ou banheiros da estância. Por baixo do neoprene, é necessário usar roupa de banho.

  • Trilha para o Olho D´Água
Caminhonete que nos leva para a trilha para o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Caminhonete que nos leva para a trilha para o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Depois de devidamente paramentados, uma caminhonete leva o grupo e a guia para o início da trilha de 2 km até o Rio Olho D´Água, onde o passeio tem seu início e cujas águas se misturam com as do Rio da Prata. A trilha é bem tranquila, é uma descida, então não chega a cansar. É importante que as pessoas recolham o maior número de informações sobre o passeio para não ter surpresas ou acabar causando mal estar no grupo por não estar no barato de curtir este tipo de passeio. É preciso fazer a trilha, é preciso caminhar. É uma caminhada gostosa, que já acorda o corpo para a travessia do rio.

Kits de primeiros-socorros, latas de lixo, sinalização ao longo da trilha. Imagem: Erik Pzado.

Kits de primeiros-socorros, latas de lixo, sinalização ao longo da trilha. Imagem: Erik Pzado.

Ao longo da trilha, kits de primeiros-socorros, latões de lixo e placas de sinalização são encontradas no percurso. Além de toda a estrutura para as trilhas, um funcionário sempre faz o percurso antes do grupo partir para sinalizar se houve alguma queda de árvore, se está tudo ok para que o passeio possa acontecer, o que aumenta a segurança e traz tranquilidade a todos que farão a flutuação.

Janaína Calaça e Chris. Trilha para o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça e Chris. Trilha para o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça e Erik Pzado na trilha para o Rio da Prata. Imagem: Chris.

Janaína Calaça e Erik Pzado na trilha para o Rio da Prata. Imagem: Chris.

Uma dica para todos aqueles que farão este passeio. Não façam como eu, que deu uma de jacu e fez a trilha vestida totalmente com o neoprene. Debaixo do sol sul mato-grossense, em um neoprene preto, eu acabei ganhando uma sauna particular, suei feito cuscuz e ainda bem que meu desodorante era resistente! Hahahaha. Abaixe o neoprene até a cintura e tá tudo certo!

Guia Chris fala sobre a flora que margeia o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Guia Chris fala sobre a flora que margeia o Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

  • Flutuação no Rio da Prata: a melhor parte, sem dúvidas, do passeio!

Início da flutuação: Olho D´Água

Depois da trilha de 2 km, de caminhar de neoprene preto debaixo do sol sul mato-grossense, tudo o que você quer (pelo menos era o que eu queria) é a água fresquinha do Rio da Prata. É no Olho D´Água onde tudo começa. Nada mais gostoso que, depois de um calorzinho, cair na água cristalina, ver peixes coloridos te rodeando, boiar, relaxar e esquecer da vida. Ô coisa difícil! 😛

Carina Freitas, do Bonito Web, Jegueton de snorkel e Janaína Calaça derretendo no neoprene. Imagem: Erik Pzado.

Carina Freitas, do Bonito Web, Jegueton de snorkel e Janaína Calaça derretendo no neoprene. Imagem: Erik Pzado.

Ainda levamos um tempinho no Olho D´Água para acertar os pontos da travessia. Limpar máscara, acostumar o corpo à flutuação, receber instruções de como descer corredeiras, de nadar no meio do rio para não nos engancharmos em galhos de árvores que ficam às margens etc. Depois de todos os acertos, o passeio finalmente começa e aí, meu caros jeguiantes, a palavra se cala e as imagens falam por mim. 😉

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Grupo se prepara para dar início à flutuação no Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Janaína Calaça, Jegueton, Chris e Erik Pzado. Imagem: Tio Boca.

Janaína Calaça, Jegueton, Chris e Erik Pzado. Imagem: Tio Boca.

Janaína Calaça e Erik Pzado na flutuação do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

Janaína Calaça e Erik Pzado na flutuação do Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Tio Boca.

– Durante a travessia do Rio da Prata: debaixo d´água, um mundo azul e de múltiplas cores aparece!

Durante toda a travessia, a guia está sempre por perto para dar suporte ao grupo. É importante salientar que um grupo desce o rio por vez. A saída para o rio é cronometrada, tudo em nome do controle e da preservação do meio ambiente. A razão de descerem grupos pequenos, até 9 pessoas no máximo, está relacionado com segurança, com a quantidade de sendimentos levantados e para evitar confusão. Em grupos pequenos, em lugares de correnteza, diminui as chances de as pessoas se embolarem no meio do caminho.

Erik Pzado debaixo das águas do Rio da Prata. Imagem: Janaína Calaça.

Erik Pzado nas águas do Rio da Prata e os peixinhos pinicando sua barba. #FAIL. Imagem: Janaína Calaça.

Durante o trajeto, você poderá, além de observar os peixes típicos da região, ver jacarés, sucuris, lontras, macaquinhos e outros animais que, eventualmente, aparecem. Demos a sorte de, na travessia, avistarmos dois jacarés e uma lontra. Apesar das pessoas se assustarem ao ouvir palavras como jacaré e sucuri, é importante deixar claro que os animais se esquivam de nossa presença e não partem para cima. É só manter distância e tá tudo certo!

Janaína Calaça nas águas do Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça nas águas do Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

As águas cristalinas do Rio da Prata e o colorido de seus peixes. Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Jacaré na margem do Rio da Prata. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Jacaré na margem do Rio da Prata. Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Erik Pzado e Janaína Calaça nas corredeiras do Rio da Prata. Imagem: Chris.

Erik Pzado e Janaína Calaça nas corredeiras do Rio da Prata. Imagem: Chris.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Águas cristalinas, peixes coloridos e os olhos de quem vê tudo isso de perto encantados. Imagem: Erik Pzado.

Ninguém fica indiferente às belezas dessas águas. Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Ninguém fica indiferente às belezas dessas águas. Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Ê azul que encanta os olhos e acalenta a alma! Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Ê azul que encanta os olhos e acalenta a alma! Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça imersa no azul das águas do Rio da Prata, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça imersa no azul das águas do Rio da Prata, Jardim, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Janaína Calaça e Erik Pzado nas águas fresquinhas do Rio da Prata. Imagem: Chris.

Janaína Calaça e Erik Pzado nas águas fresquinhas do Rio da Prata. Imagem: Chris.

– Fim da flutuação no Rio da Prata

Nossa travessia durou quase 4 horas, mas contando paradas para fotos, para observação de animais etc. Caso alguém não consiga concluir o percurso, uma embarcação pequena estará de prontidão para levar o visitante até o fim do passeio, como foi o caso de uma menina, que fez a flutuação com os pais. Faltando uns 20 minutos para terminar a flutuação, ela optou por pegar a embarcação e esperar nosso grupo no deck. O importante é saber que o passeio é indicado para todas as idades, contanto que as pessoas conheçam seus limites e não forcem a barra com o corpo. Se sentir que está se cansando, é só pedir o apoio!

Fim da flutuação no Rio da Prata. Passeio muito bem aproveitado e saudades depois! Imagem: Tio Boca.

Fim da flutuação no Rio da Prata. Passeio muito bem aproveitado e saudades depois! Imagem: Tio Boca.

Ao fim da flutuação, um integrante da equipe do Rio da Prata nos espera no deck para entregar nossas roupas e pertences. Lá, entregamos também todo o equipamento utilizado na flutuação para que seja posteriormente higienizado.

Menininha que fez a travessia conosco no Rio da Prata. Imagem: Tio Boca.

Menininha que fez a travessia conosco no Rio da Prata. Imagem: Tio Boca.

O saldo do passeio: uma das experiências mais positivas e inesquecíveis que pude vivenciar durante esta viagem e que vale muito a pena. Como disse no início do post, além de termos, Erik e eu, contato com as águas mais cristalinas que pudemos ver até então, com peixes, paisagens, observar animais, ainda tivemos a sorte de fazer a travessia com um grupo bacana, com pessoas de mente aberta, que seguiram todas as regras, respeitaram o espaço dos outros, interagiram, riram, fotografaram juntas, enfim, tivemos a sorte de vivenciarmos uma experiência tão positiva com pessoas que estavam em sintonia com a proposta do passeio. Se tem algo que tenho a dizer sobre Bonito é que todas as regras, limites e instruções são necessários e precisam ser respeitados para que tudo dê certo. Quem não consegue conviver com isso, é melhor ficar em casa e gastar o dedo no controle remoto da TV!

  • Dicas importantes para curtir a flutuação no Rio da Prata
Jegueton dá dicas para você aproveitar melhor seu passeio no Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

Jegueton dá dicas para você aproveitar melhor seu passeio no Rio da Prata. Imagem: Erik Pzado.

– Leve toalhas e roupas limpas para tomar um banho e se trocar depois da travessia. Relaxado, você poderá aproveitar com mais conforto o almoço e o descanso nas redes da estância;

– É proibido o uso de bloqueador solar no rio, mas, depois, é bom passar na estância para caminhar;

– Para fotografar as águas do Rio da Prata, sugiro comprar uma câmera descartável ou alugar nas agências ou no hotel as câmeras subaquáticas ou que estejam acomodadas em caixas-estanque;

– Durante a trilha, abaixe o neoprene até a altura da cintura para não ser cozido;

– Respeite os seus limites. Se não conseguir fazer toda a travessia, peça o apoio e termine o passeio na embarcação-suporte oferecida pelo passeio;

– Respeite seu guia e as regras. Eles são importantes para sua segurança e para o sucesso do seu passeio!

Pegando estrada e voltando para Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Pegando estrada e voltando para Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

  • Adicione o passeio ao seu roteiro!

Caros jeguiantes, espero que tenham gostado do post sobre a flutuação no Rio da Prata. Para maiores informações, acesse  Bonito WebYgarapé Tour e veja como se programar! Ah, e não deixem de acompanhar os próximos posts sobre nossa visita a Bonito! Até a próxima!

Siga-nos no Twitter!

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

5 Comentários

  1. […] This post was mentioned on Twitter by entretulipas, jana_calaca, Jegueton, jana_calaca, Jegueton and others. Jegueton said: Entre as memórias e fotos das águas azuladas do @riodaprata, seus peixes e sua beleza, o novo post da série #Bonito-MS! http://bit.ly/gfmSt1 […]

  2. Entretulipas disse:

    Muuuuuuito lindo o lugar.
    Nossa, me encantei. Assim que tiver uma oportunidade, com certeza irei. Posso imaginar sua felicidade qnd lembra de um passeio como esse. Deve transmitir uma paz imensa.

    Em Porto de Galinhas tem o passeio de jangada, para observação dos peixes. A água é cristalina tmb, mas não como essa das fotos.
    Adorei!
    Parabéns!

  3. […] da região que engloba Bonito e Jardim, como o Balneário Municipal, o Bote no Rio Formoso, a Flutuação no Rio da Prata, a visita ao Buraco das Araras e ao Projeto Jiboia e até participar do Festival da Guavira, fruta […]

  4. […] na vegetação e nas próprias cachoeiras) ou retornar ao inesquecível e profundamente cristalino Rio da Prata. Prontos para a flutuação no Rio da Prata. Jardim, MS. As águas cristalinas do Rio da Prata […]


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: