Viajar é sempre uma experiência válida. Sempre. Para perto ou para longe, o importante é a experiência de poder conhecer outras paisagens, culturas e gerar recordações para a vida. Viajar te desconecta da repetição cotidiana e recarrega, sem dúvidas, as baterias. Muitos viajantes, no entanto, acabam encarando essa ou outra viagem, que fizeram ao longo da vida, como desperdício de tempo. “Não aproveitei nada”; “Foi aborrecimento do início ao fim”; “Aquela cidade não tem nada haver comigo”. Pensando nessas afirmações, decidi escrever este post e tentar fazer o leitor descobrir que tipo de viajante ele é e qual o tipo de viagem vai de encontro ao seu perfil. Pode não parecer, mas autoconhecimento fará muita diferença no sucesso ou no fracasso de suas viagens.

Perfis de Viajantes

Jegueton, versão viajante praieiro no Rio de Janeiro. Imagem: Janaína Calaça.

Jegueton, versão viajante praieiro no Rio de Janeiro. Imagem: Janaína Calaça.

  • Viajante praieiro: O viajante praieiro é aquele que, assim como já antecipa seu perfil, se interessa por qualquer destino que envolva praias! Seu perfil é o da pouca roupa, mala levinha, despreocupação, muito sol, muitos banhos de mar, chinelo no pé e água de coco na mão. O viajante praieiro gosta do clima descontraído das praias e da sensação de estar em férias. Irritar um viajante praieiro é trancafiá-lo dentro de um ônibus e jogá-lo em espaços fechados. Seu negócio é brisa e caipirinha com peixe frito! Tipo de viagem bacana: Cidades litorâneas;
Roteiros gastronômicos atraem os viajantes bons de garfo! Imagem: Janaína Calaça.

Roteiros gastronômicos atraem os viajantes bons de garfo! Imagem: Janaína Calaça.

  • Viajante gastronômico: O viajante gastronômico é aquele que conhece uma cidade através de seus pratos típicos ou de sua tradição em reunir várias espressões da gastronomia mundial. Quando viaja para cidades que possuam uma identidade gastronômica bem marcada, este viajante lista os pratos comumente preparados e tenta provar um pouco de tudo. Seus souvenirs são receitas coletadas e algum produto peculiar, que usará em suas preparações mais tarde. Quando em cidades grandes, cosmopolitas, o viajante gastronômico monta roteiros que contemplem restaurantes exóticos e sempre está aberto a experimentar. Tipo de viagem bacana: Para destinos com forte tradição gastronômica local ou que reúnam vários exemplares da gastronomia mundial;
Jeguiando, versão viajante pé no mato. Imagem: Fábio Brito.

Jeguiando, versão viajante pé no mato. Imagem: Fábio Brito.

  • Viajante pé no mato: É aquele que se interessa por viagens que envolvam contato com a natureza. Arvorismo, rafting, trekking, trilhas, acampamentos, etc. Este viajante não se incomoda em brigar com mosquitos, se sujar de lama, se molhar, não ter banheiro, nem conforto. Seu negócio é aproveitar ao máximo o contato com que o cerca e dar um tempo da correria cotidiana. Tipo de viagem bacana: Destinos que envolvam turismo de aventura ou ecoturismo;
Show de tango em Foz do Iguaçu, para os viajantes cult. Imagem: Erik Pzado.

Show de tango em Foz do Iguaçu, para os viajantes cult. Imagem: Erik Pzado.

  • Viajante cult: Museus, teatros, festivais de cinema, shows temáticos, livrarias, sebos, etc. Todos estes itens são atrativos para o viajante cult. Ele viaja com uma programação básica de conhecer os museus da cidade; assistir no mínimo a uma peça teatral ou alguma apresentação de dança ou musical; conhecer livrarias, etc. Para este viajante, o importante é banhar-se de várias experiências culturais. Tipo de viagem bacana: Cidades ricas em museus e de vida cultural efervescente;
Caveirinhas do Dia dos Mortos. México. Imagem: Fábio Brito.

Caveirinhas do Dia dos Mortos. México. Imagem: Fábio Brito.

  • Viajante histórico: Este viajante se confunde um pouco com o viajante cult, porque também aprecia os museus. É um viajante com interesse na memória das cidades que visita. Além de museus, gosta de visitar monumentos, igrejas, projetos arquitetônicos antigos, ruínas, ver fotos antigas do lugar, etc. Seu negócio mesmo é viajar no tempo, conhecer a fundo a trajetória da cidade que visita, os costumes, as lendas, os símbolos identitários. Tipo de viagem bacana: Cidades históricas, cidades que mantêm as ruínas de antigas civilizações, etc.;
Duty Free em Puerto Iguazu, point do viajante comprinhas. Imagem: Erik Pzado.

Duty Free em Puerto Iguazu, point do viajante comprinhas. Imagem: Erik Pzado.

  • Viajante comprinhas: É aquele que, como mesmo o nome diz, viaja para fazer comprinhas. Na hora do embarque, leva duas malas. Uma de roupas e uma vazia. Se faz viagens para dentro do país, traz artesanatos, roupas, bebidas, comidinhas e tudo que ache pelo caminho e considere interessante ou exótico. O viajante comprinhas, quando sai do país, chega 4 horas antes do embarque, para passar pelo menos duas no Free Shop. Nova York é seu sonho de consumo, literalmente. Há o viajante comprinhas old school também, que lembra dos tempos áureos do Paraguai, quando viajava para comprar eletrônicos, perfumes importados e tênis da Nike para a sobrinhada. Tipo de viagem bacana: Para destinos conhecidos pela sua tradição em compras;
Viajantes baladeiros. Imagem: Fábio Brito.

Viajantes baladeiros. Imagem: Fábio Brito.

  • Viajante baladeiro: Festa, ê, festa! O viajante baladeiro é atraído por destinos famosos por suas festas. Pode ser festa de largo, carnaval, lavagem, raves, São João, Oktoberfest, o que vier! O viajante baladeiro conhece os destinos mais festeiros e seu negócio é badalação. Tipo de viagem bacana: Destinos tradicionais por suas festas e festivais;
Jegueton, versão viajante etílico. Imagem: Erik Pzado.

Jegueton, versão viajante etílico. Imagem: Erik Pzado.

  • Viajante etílico: Vinhos, cervejas, champanhes, tequilas, cachaças. Quer deixar um viajante etílico feliz? Ofereça a ele visitas a adegas, vinícolas, alambiques, fábricas artesanais de cerveja, etc. O viajante etílico sempre está pronto para experimentar. Hoje, muitas cidades estão apostando neste tipo de viajante e oferecendo inclusive passeios que envolvam experiências gastronômicas e harmonizações. Tipo de viagem bacana: Cidades tradicionais por suas bebidas e que ofereçam visitas com degustações.
Resorts, cruzeiros e pacotes e excursões são atraentes para o viajante eu-não-quero-ter-trabalho. Imagem: Janaína Calaça.

Resorts, cruzeiros, pacotes e excursões são atraentes para o viajante eu-não-quero-ter-trabalho. Imagem: Janaína Calaça.

  • Viajante eu-não-quero-ter-trabalho: O viajante eu-não-quero-ter-trabalho é aquele que comumente opta por procurar operadoras de turismo, agências de viagem, clube de férias. Seu negócio é viajar, mas para isso prefere já contratar todos os serviços antes. Prefere excursões e roteiros prontos, para não ter trabalho. Cruzeiros e resorts também o apetecem, principalmente os que ofereçam serviços all inclusive, que os deixam levemente despreocupados. Tipo de viagem bacana: Para este perfil de viajante, não é tanto o destino que importa, mas os serviços oferecidos que proporcionem comodidade.

Em que o perfil do viajante influencia no sucesso de sua viagem?

Obviamente,  nenhum viajante é tão cartesiano assim! Ninguém se encaixa em apenas um perfil, antes de mais nada, e o fato de eu ter brincado com os diversos tipos de viajantes foi só para chamar a atenção a um ponto importante: apesar de, em uma viagem, contemplarmos vários dos pontos levantados acima, há sempre um que se destaca mais e que provavelmente você busca em suas andanças. Não adianta trancafiar uma pessoa que gosta de passeios ao ar livre em lugares fechados ou fazer passeios que envolvam abrir mão da comodidade, quando você prima por conforto. Conhecer-se bem acaba ajudando ao viajante a distinguir aquilo que realmente o atrai, daquilo que só provocará irritação e mau humor. Obviamente também devemos abrir espaço para novas experiências sempre, mas é bom saber quais são seus limites e gostos para não maldizer um momento que deveria ser prazeroso. Conhecer-se bem e buscar o máximo de informações sobre o destino, para onde você irá viajar, minimizam as chances desta andança dar errado! E… Boa viagem!

Siga-nos no Twitter:

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

28 Comentários

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Erik PZado Araujo, Erik PZado Araujo, Erik PZado Araujo, Erik PZado Araujo, Erik PZado Araujo and others. Erik PZado Araujo said: RT @jana_calaca: Q tipo de viajante você é e como seu perfil influencia no sucesso ou fracasso da viagem? Hj, no Jeguiando! http://bit.ly/cDlFTp Imperdível! […]

  2. Natália disse:

    Excelente!!!
    Tenho um pouco do Viajante “Pé no mato” (sem exageros, gosto de banheiro e banho quente), mas curto um trekking, rafting, etc. e também do “Histórico”, me amarro em um sítio arqueológico, não viajo só para vê-los, mas se tem algum por perto, sempre dou um jeito de visitá-los!
    E como carioca, também tenho algo de praiana… Adorooo!!!!
    Parabéns pelo post! Arrasou!

    • Acho que um pouco da viajante histórica, um pouco da gastronômica e um tico da cult. 🙂 No fim das contas, ninguém se engessa em um ponto só. O divertido é justamente transitar! Mas é claro que algo sempre salta aos olhos e acaba servindo de orientação para escolher melhor uma viagem que tenha mais haver com seu perfil. 🙂

      Beijocas,

      Jana. 🙂

  3. Cecilia disse:

    Muito legal, criativo e bem organizado. Vou usar para a minha aula de amanha.

  4. […] democrática do ponto de vista turístico. Certa vez, publiquei um post em que falo sobre como o perfil dos viajantes pode influenciar no sucesso ou no fracasso de uma viagem. Ter um profundo auto-conhecimento sobre […]

  5. Arthur disse:

    Eu sou todos os tipos, exceto o baladeiro e consumista!
    Abs

  6. Sou totalmente viajante histórica. Mesmo que vá para um lugar de exuberantes paisagens (o Atacama, por exemplo) são as civilizações que passaram por lá que vão me interessar mais! Do “Cult” eu só tenho as livrarias, que me atraem bastante. Mas de museu, estou de saco cheio ultimamente! Rá rá rá! Gosto mais dos museus regionais e típicos (o que tem a ver com história, cultura e folclore!) E mesmo gostando de provar coisinhas e sabores regionais, não sou viajante gourmet, é sempre o destino em si que determina minha viagem, a comida que ele oferece é so um complemento! 🙂

    • Sílvia, o grande barato dessa brincadeira é saber que somos mutáveis, assim como a própria vida! Tem viajante baladeiro que hoje corre de balada e que quer mesmo é fugir para o meio do mato! Eu, inclusive, tô na fase viajante pé no mato. Se pudesse, passaria um tempo só ouvindo cri cri dos grilos! Hahahahahahaha

      Beijão,

      Jana.

  7. Leticia Alves disse:

    Eu me enquadro no viajante praieiro, cult e histórico.
    Muito bacana!

  8. Klebson disse:

    Eu sou viajante comprinhas (dependendo do destino) mas meu perfil correto não está listado, sou o viajante parques/fotógrafo. Gosto de parques temáticos, o que não tem acima. Gosto muito de visitar o máximo de pontos turísticos e tirar fotos em todos, o que também não tem acima.

  9. Tenho uma pouco de todos, mas sem dúvida sou mais praieiro…não resisto ao barulho das ondas no mar!!!

    Adorei o post!!!

    Até + !!!

  10. Olá Jana!
    Bem legal e didático realmente este post! E acho bem difícil qualquer um que goste de viajar não se enquadrar em vários destes perfis!
    Bom, o nosso é meio evidente, o pé no mato e pela nossa característica de viagem em família e com crianças, não caberiam para nós a classificação de viajantes etílicos e baladeiros…rsrs
    Beijos!
    Marcia

    • Marcia Tanikawa » Oi, Marcia! Como disse, os perfis são muitos!!! Eu só pontuei alguns para estimular a gente a pensar porque muitas vezes viajamos para um lugar e a viagem não nos agrada. É claro que podemos sempre nos abrir para novas experiências, mas é bacana também aproveitar aquilo que nos toca verdadeiramente!

      Um grande abraço,

      Jana. 😀

  11. Yara Tirone disse:

    Mto bom, adorei ler este post mto bem escrito e me encontrei em 3 tipos q na verdade já sei q sou e gosto e por isso procuro sempre o mesmo tipo de viagem , resort na praia + compras , mesmo assim valeu as dicas e recomendo a leitura ! Parabéns.

  12. @lilibollero disse:

    Tenho todos esses estilos a depender do tempo.

  13. […] cidades mais agitadas do mundo, com incríveis contrastes e um mundo de atividades para todos os tipos de viajantes. A agitada Khao San Road é o centro de toda a vida e ponto de partida para saber o que fazer em […]

  14. Viajando na net, vós encontrei e achei legal por isso dei uma paradinha. Ai esta bastante tipo de viajante, mas eu me enquadro no viajante cantoreiro, sabe qual? aquele que não canta ,mas que fica só pelos cantos, observando justamente o tipo de cada. Mais achei muito legal seu post, é diferente assim que tem que ser, algo que chama atenção, e diverte.
    Abraços
    Atenciosamente
    Francisco josé

  15. […] cidades mais frenéticas do mundo, com incríveis contrastes e um mundo de atividades para todos os tipos de viajantes. A agitada Khao San Road é o centro de tudo, realmente o ponto de partida para saber o que fazer […]

  16. […] Conhecer bem sua cidade e valorizar o lugar onde se vive fará você, inclusive, se tornar um viajante mais consciente e mais atencioso nas viagens a outras cidades. Antes de conhecer outros espaços, […]


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: