Considerada um dos destinos mais charmosos do Canadá e uma das cidades mais francesas do país – dividindo o título apenas com a bela e cosmopolita Montréal –, Québec City merece ser conhecida com tempo e sem pressa, da mesma forma como quando escolhemos um livro em uma biblioteca e o levamos para casa. Assim como um livro, que por alguma razão nos despertou a atenção pelo título, pelo resumo, pelas críticas e até mesmo pela capa, sabemos que, só mergulhando verdadeiramente em suas páginas – no caso de Québec City, em suas ruas –, um novo mundo de possibilidades se abre, extrapolando, muitas vezes, as nossas próprias expectativas.

Quando um livro torna-se muito maior do que seu título, capa, resumo e críticas e consegue se conectar ao seu leitor de uma forma mais profunda, alinhavando-se, inclusive, à sua história, sua chance de conquistar aos poucos um lugar no imaginário coletivo se expande, afinal somos seres sociais e que compartilham experiências, sejam elas sobre livros ou sobre viagens. Se faço uma analogia entre Québec City e alguns livros que me arrebataram ao longo da vida é porque enxergo nessa relação a mesma lógica. Vi muitas fotos da cidade; li muitos artigos sobre ela, mas apenas caminhando calmamente entre suas ruas e vielas, consegui alinhavá-la à minha vida. Entre seus lampiões acesos à noite ou entre seus muros de pedras, descobri que Québec City é bela e acolhedora; que lá as pessoas ainda apreciam conversar e não sofrem demasiadamente com a correria cotidiana das grandes metrópoles. Nessa cidade de herança francesa, há tempo para ouvir músicos tocarem em Vieux-Québec; ver pessoas dançando como se estivessem sozinhas umas com as outras mesmo em meio a uma multidão; para tomar um café e ler um jornal; para almoçar e dividir um vinho; para comprar frutas frescas no mercado da cidade e servi-las no jantar como sobremesa. Só abrindo as páginas desse livro com calma, você conseguirá enxergar o quanto essa cidade canadense tem força para encantar várias gerações com sua beleza, como um clássico que permanece atemporal mesmo que várias décadas tenham passado após a sua primeira edição.

Bandeira de Québec. Imagem: Erik Araújo

Bandeira de Québec. Imagem: Erik Araújo

O charme de Québec City. Imagem: Janaína Calaça

O charme de Québec City. Imagem: Janaína Calaça

  • Entendendo os mapas

Para ilustrar a nossa passagem pela cidade, por suas ruas, vielas, muros e mirantes, decidimos reunir dicas rápidas do que conhecer em Québec City agrupando alguns atrativos por proximidade com grandes avenidas e boulevards – para otimizar sua visita ao destino e para passar uma rápida ideia do que um viajante encontrará por lá. Antes de pegar o mapa e definir seu roteiro, tenha em mente que Québec City é banhada pelo Rio São Lourenço (St Laurent River) e recortada por grandes avenidas, que encontram-se próximas a alguns atrativos. Por exemplo, se você quiser conhecer o Musée National de Beaux-Arts; o Jardin Jeanne-d’Arc (O Jardim de Joana D’Arc) ou o Parc des Champs-de-Bataille, poderá se orientar a partir da Avenida Grande Allée Est, que se transforma em Saint-Louis e leva os visitantes até Vieux Québec (a velha Québec) e também à Citadelle. De Vieux Québec, um de seus principais atrativos turísticos, o viajante ainda tem acesso ao agradável Marché-du-Vieux-Port (o mercado municipal), que tem uma linda vista para o porto, e a museus interessantes como o Musée de la civilisation – próximo a Place-Royale – e assim por diante. Para entender o mapa, considere sempre o rio, as grandes avenidas e os boulevards e explore, assim, seu entorno para melhor conhecer Québec City.

  • Avenida Grande Allée Est – Uma boa opção para começar seu tour pela cidade
Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Se um viajante decidir conhecer Québec City sem um tour guiado e tiver dúvidas de por onde começar seu passeio, sugiro escolher a avenida Grande Allée Est como seu referencial “mor” em termos de orientação. Além de ser uma das principais avenidas de Québec City e também uma das porções mais badaladas da cidade, lá, o visitante tem acesso a vários atrativos turísticos, como o Musée National de Beaux-Arts (acesso pela Wolfe Montcalm); o Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc, com acesso pela Avenue Taché); o Parc des Champs-de-Bataille (com acesso pela Avenue Taché com a George VI); o Hôtel du Parlement (com acesso pela Honoré-Mercier); e encontra ainda uma série de bares, cafés, restaurantes e casas de shows, como a Voodoo Grill, que funciona como um restaurante de alta gastronomia, lounge e casa noturna. Se a ideia é otimizar a viagem, começar seu tour por ela é uma boa pedida.

Observações: A partir da Honoré-Mercier, a Grande Allée Est torna-se a avenida Saint-Louis e leva o visitante até Vieux-Québec, o principal atrativo turístico da cidade.

Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

Avenida Grande Allée Est. Québec City, Québec, Canadá. Imagem: Erik Araújo

  • Musée National des Beaux-Arts du Québec

No extremo oposto à Vieux-Québec, tendo a Grande Allée Est como seu referencial, o visitante encontrará o Musée national des beaux-arts du Québec (“Museu Nacional de Belas Artes de Quebec”, em português), “que reúne cerca de 25.000 obras essencialmente produzidas em Québec ou de artistas da província”, algumas do século 18 inclusive. “Fundado em 1933, o museu é composto por três pavilhões, cada um em um edifício distinto. Uma delas é a antiga prisão da cidade de Québec, que data do século 19 e cujo interior é uma testemunha contemporânea da vida carcerária na época”. (Fonte: Wikipedia)

Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Instalação em frente ao Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Instalação em frente ao Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Interagindo com a obra de arte. Instalação em frente ao Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Interagindo com a obra de arte. Instalação em frente ao Musée National des Beaux-Arts du Québec. Imagem: Erik Araújo

Localizado no Parc des Champs-de-Bataille, nas Plaines d’Abraham, o Musée national des beaux-arts du Québec geralmente monta algumas instalações em sua área externa de algum artista de Québec. Uma delas, “Nature Morte” (com que eu tive a “cara de pau” de interagir), fazia referência ao falecido artista quebequense Alfred Pellan e à sua esposa (também falecida) Madeleine. A partir de seus arredores, é também possível ter uma vista panorâmica do Fleuve Sant-Laurent (Rio São Lourenço).

Plaines d'Abraham. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Terrasse Grey. Plaines d’Abraham. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Vista para o Rio São Lourenço, a partir das Plaines d'Abraham. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Vista para o Rio São Lourenço no Terrasse Grey, a partir das Plaines d’Abraham. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

>>Outras informações sobre o Musée National des Beaux-Arts du Québec:

– Localização: National Battlefields Park. Québec City QC G1R 5H3, Canada.

– Tel.: 418 643-2150

– Fax: 418 646-3330

– Site oficial: http://www.mnbaq.org/

  • Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc)
Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Englobando as Plaines d’Abraham e o Jardin Jeanne-d’Arc, o Parc des Champs-de-Bataille, cujo território foi palco de uma das principais batalhas entre Inglaterra e França pela conquista e colonização do Canadá, definindo assim os rumos políticos e econômicos da nação canadense, é um dos maiores e um dos poucos parques urbanos de Québec City e tem sido frequentemente comparado ao Central Park em Nova York. É lá que acontece alguns dos principais eventos ao ar livre da cidade, como o famoso Carnaval de Inverno de Québec, com paradas, esculturas de neve, esportes de inverno e música; o Festival de Verão de Québec City e a Fête Nationale du Québec. Como visitamos o parque no início de outubro, não só tivemos a oportunidade de ver a mudança das cores nas árvores, como também pudemos assistir a um evento voltado ao Outubro Rosa – idealizado para ajudar os pacientes com câncer de mama e para reafirmar a necessidade de fazer exames preventivos –, e à movimentação para o Halloween, traduzida nos enfeites e abóboras espalhados pelo parque.

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Ainda no Parc des Champs-de-Bataille, o visitante encontrará o Jardin Jeanne-d’Arc, dedicado à Joana D’Arc, padroeira da França após ter sido canonizada pelo Papa Bento XV e alçada como santa em 1920 e considerada também uma heroína histórica, por ter lutado na Guerra dos Cem Anos em defesa da nação francesa, tendo sido queimada viva quando capturada. O jardim, projetado por Louis Perron, possui em seu centro uma estátua de Joana D’Arc montada e empunhando sua espada presente enviado a Québec City pela escultora nova-iorquina Anna Hyatt Huntington e por seu marido.

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc) se preparando para o Halloween. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d'Arc (o Jardim de Joana D'Arc). Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Parc des Champs-de-Bataille e Jardin Jeanne-d’Arc (o Jardim de Joana D’Arc). Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

  • Place de l’Assemblée-Nationale; Hôtel du Parlement e Fontaine de Tourny

>>De Janeiro a Março

Duas experiências únicas canadenses em um só lugar: Carnaval de Inverno de Québec e Hotel de Gelo

Quem estiver planejando viajar para Québec City entre janeiro a março para curtir o inverno na cidade, não só encontrará o destino ainda mais charmoso por causa da neve, como também poderá vivenciar duas das experiências únicas canadenses já mapeadas: participar do Carnaval de Inverno de Québec e conhecer ou se hospedar no Hotel de Gelo, erguido, todos os anos, na Place de l’Assemblée-Nationale. Como o Carnaval de inverno (que acontece entre fins de janeiro e começo de fevereiro) é realizado no Parc des Champ-de-Bataille, a visita ao hotel pode fazer parte do roteiro de quem quer vivenciar algumas das experiências únicas canadenses durante uma visita ao país. Construído todos os anos durante o inverno com toneladas de gelo e neve por arquitetos, o hotel foi idealizado para receber hóspedes (que dormem em sacos de dormir térmicos em suítes lindíssimas temáticas) e também curiosos, que apenas querem ver como o empreendimento funciona por dentro. Para quem pretende apenas conhecer a obra, mas não se hospedar, vale fazer um tour pelo local e tomar um drink em seu bar.

Hotel de gelo, em Québec City. Imagem: Xavier Dachez

Hotel de gelo, em Québec City. Imagem: Xavier Dachez

Hotel de gelo, em Québec City. Imagem: ©Canadian Tourism Commission

Hotel de gelo, em Québec City. Imagem: ©Canadian Tourism Commission

Carnaval de Inverno de Québec. Imagem: ©Canadian Tourism Commission

Carnaval de Inverno de Québec. Imagem: ©Canadian Tourism Commission

Durante o restante do ano, no entanto, a Place de l’Assemblée-Nationale retorna à “programação normal” e os atrativos ficam por conta de conhecer o Hôtel du Parlement (uma belíssima obra arquitetônica da cidade); a Fontaine de Tourny, instalada na praça em 2007; ou fazer um passeio de carruagem por seu entorno.

Hôtel du Parlement. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Hôtel du Parlement. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Hôtel du Parlement. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Hôtel du Parlement. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Fontaine de Tourny. Place de l'Assemblée-Nationale. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Fontaine de Tourny. Place de l’Assemblée-Nationale. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Fontaine de Tourny. Place de l'Assemblée-Nationale. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Fontaine de Tourny. Place de l’Assemblée-Nationale. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

  • Citadelle de Québec

Continuando a utilizar a Grande Allée Est como principal referencial de orientação, é através dessa avenida também que o visitante terá acesso a um dos maiores atrativos de Québec City, além, é claro, de Vieux Québec: à Citadelle.

Maior fortaleza britânica construída na América do Norte, a Citadelle é uma guarnição militar ativa, erigida entre os anos de 1820 e 1831 e “baseada no sistema de defesa projetado por um engenheiro francês chamado Vauban e construída sob a liderança do tenente-coronel Elias Walker Durnford, um oficial do exército britânico. Primeiro ocupada por tropas britânicas e pela artilharia canadense, desde 1920, o local tem sido utilizado também como residência oficial do Royal Regiment 22e, o único regimento de infantaria Francófona da CF Regular Force. (Fonte da informação: http://www.lacitadelle.qc.ca/en/la-citadelle.html)

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Com 2,3 km² de área total, a Citadelle está posicionada em um dos pontos mais altos e, consequentemente, mais privilegiados de Québec City. Sua posição estratégica, que confere uma visão panorâmica de 360° da cidade, funcionou no passado para fins de defesa, mas hoje também oferece uma visão privilegiada a turistas e viajantes em geral que queiram ver Quebéc City por um ângulo diferente. A partir da Citadelle, é possível avistar Vieux-Québec; o Château Frontenac; o Rio São Lourenço e os cruzeiros que aportam no Vieux-Port e uma enorme porção dessa linda cidade canadense, marcada por muros antigos e edificações de pedra.

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Além da troca de guarda, que acontece diariamente na Citadelle de Québec, de junho a setembro, às 10 da manhã, o local oferece uma série de tours para quem tem interesse em conhecer um pouco mais sobre um dos principais atrativos turísticos da cidade. Entre as opções oferecidas, estão: o General Tour; o Vip Tour e o Night Tour.

No General Tour, que dura certa de 60 minutos e engloba uma visita pela Citadelle e ao museu do 22e Regiment, o guia conta um pouco da história dos ataques americanos e fala sobre o desenvolvimento das fortificações e dos edifícios que compõem o complexo. O Vip Tour, com duração de 90 minutos, inclui uma visita à torre geral e duas paradas adicionais: uma à Capela e outra ao memorial à bandeira. Por fim, o Night Tour, também com duração de 90 minutos, acontece especialmente entre os meses de setembro e outubro e traz uma outra face de uma visita à Citadelle: a dos personagens. O tour inclui acesso a locais que encontram-se normalmente fora dos limites para visitantes. Para efetuar reservas, ligue para 418-694-2815 ou escreva para information@lacitadelle.qc.ca para enviar reservas on-line. As taxas podem ser pagas no local em dinheiro, cartão de crédito ou cheque nominal ao Musée Royal 22e Régiment.

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

>>Outras informações sobre a Citadelle de Québec:

– Localização: 1 Côte de la Citadelle, Québec, QC G1R 3R2, Canadá.

– Tel.: +1 418-694-2815

– Site oficial: http://www.lacitadelle.qc.ca/en/la-citadelle.html

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir da Citadelle de Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

  • Vieux Québec

As cidades, no geral, possuem regiões, monumentos ou edificações que as identificam facilmente tanto entre locais como entre visitantes. Em Paris, a Torre Eiffel; no Rio de Janeiro, o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar; em Salvador, o elevador Lacerda e o Pelourinho e assim por diante. Pensando em símbolos que povoam o imaginário coletivo e fazem com que as pessoas reconheçam facilmente uma cidade no mundo, eu diria que em Québec City um de seus maiores símbolos é Vieux-Québec (ou a Velha Québec), que engloba ícones como a Basilique-cathédrale Notre-Dame e o Château Frontenac.

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Caminhando por Vieux Québec. Imagem: Erik Araújo

Caminhando por Vieux Québec. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec, eu diria, é a metonímia de Québec City e a sua Montmartre. É charmosa com suas edificações de pedra; com seu funicular e com seus cafés, restaurantes e lojinhas de arte. É lá onde se concentram artistas de rua e onde são expostas pinturas sobre a cidade, como em Montmartre em Paris. Mesmo tendo se tornado um daqueles pontos “turistões”, ainda assim a Velha Québec é encantadora. Encantadora a ponto de pedir horas de olhares dedicados e, por ser tão especial, não vou me alongar nela nesse post (escreverei um artigo inteirinho dedicado a esse cantinho de Québec City mais tarde). Apenas uma dica: não deixe de visitá-la e vá com tempo para percorrer com calma suas ruas estreitas e vielas.

Dupla de duplos. Imagem: Erik Araújo

Dupla de duplos. Imagem: Erik Araújo

Église Notre-Dame-des-Victoires. Vieux-Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Église Notre-Dame-des-Victoires. Vieux-Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Québec. Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vieux Québec, a Montmartre de Québec City. Imagem: Erik Araújo

Vieux Québec, a Montmartre de Québec City. Imagem: Erik Araújo

Château Frontenac. Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

Château Frontenac. Vieux-Québec. Imagem: Erik Araújo

  • Musée de La Civilisation

A partir de Vieux-Québec, o viajante pode ainda adicionar outros importantes pontos turísticos de Québec City ao seu roteiro para enriquecer ainda mais a sua experiência pela cidade, como o Musée de La Civilisation, o Vieux-Port e o Marché-du-Vieux-Port (um mercado lindíssimo, que me fez adorar ainda mais o Canadá).

Localizado na Place-Royale, o Musée de La Civilisation foi inaugurado em 1988 e tornou-se uma referência em museus para o país pela sua proposta de “linkar o passado, o presente e o futuro”, através de exposições permanentes e temporárias, trazendo a história do Canadá e de suas províncias em paralelo a expressões culturais contemporâneas e globais cotidianas. De arquitetura contemporânea, mas perfeitamente integrada às antigas edificações de Vieux-Québec, o museu traz uma abordagem local e global aos que se propõem a visitá-lo durante uma passagem por Québec City.

Musée de La Civilisation. Exposição "Game Story". Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Exposição “Game Story”. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Exposição "Game Story". Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Exposição “Game Story”. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Exposição "Game Story". Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Em nossa passagem pela cidade e pelo museu, visitamos não só a exposição sobre as antigas civilizações que habitavam o Canadá antes do período de colonização francesa e inglesa, como também uma exposição sobre games que estava acontecendo na época  The Game Story , que desenhou uma verdadeira viagem ao passado dos games, desde os primórdios dos videogames até a atualidade e suas versões cada vez mais interativas, totalizando quarenta anos de trajetória. O museu vale muito uma visita. #FicaADica

>>Outras informações sobre o Musée de La Civilisation:

– Localização: 85, rue Dalhousie. P.O. Box 155, station B, Québec City, Québec G1K 8R2.

– Tel.: +1 (418) 643-2158

– Site oficial: http://www.mcq.org/en/mcq/

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

Musée de La Civilisation. Québec City, Québec. Imagem: Erik Araújo

  • Vieux-Port de Québec e Marché-du-Vieux-Port

O mais antigo porto do Canadá e o segundo maior porto da província de Québec, Le Vieux-Port de Québec não só figura como parte da história de Québec City por ter sido um importante ponto de conexão para navios europeus no passado , como também da identidade da cidade, assim como o Rio São Lourenço e Vieux Québec. Sua proximidade à Velha Québec e a presença de seu encantador mercado o Marché-du-Vieux-Port tornam o porto de Québec ainda mais atraente para quem desembarca na cidade através de cruzeiros ou embarcações particulares. Além de poder visitar a Place-Royale, o Musée de la Civilisation e Vieux-Québec durante o dia, o viajante ainda pode passar no mercado do Velho Porto para adquirir produtos como Ice Wine, azeites, chocolates, produtos à base de Maple todos produzidos na província e em seus arredores.

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir do Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir do Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir do Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vista a partir do Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Vieux-Port. Imagem: Erik Araújo

Para quem, como nós, adora mercados, ter tempo para visitar o Marché du Vieux-Port (Old-Port Market) foi um presente, principalmente porque passamos apenas um fim de semana em Québec City e precisávamos otimizar o tempo de todas as formas possíveis!

A primeira versão ou ensaio do mercado  do que é hoje conhecido como o Marché du Vieux-Port nasceu em 1640 e atravessou o tempo até alcançar o modelo atual e ser instalado na Place-Royale. Ao longo dos anos, o mercado passou de um espaço de venda básica de produtos para um verdadeiro espaço de convivência entre locais e gourmets, que inclui não somente frutas, verduras e legumes produzidos na província e em seus arredores, como também vinhos de Québec, cervejas canadenses, Maple Syrup e produtos à base de Maple, chocolates, sabonetes, além de dispor de locais para almoçar ou fazer um lanche rápido e espaços para aulas de gastronomia.

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Levando em consideração que os mercados são uma parte  importante dos destinos que visitamos  pois traduzem, de forma muito particular, os costumes locais principalmente através da comida , uma visita ao Marché du Vieux-Port é, em minha opinião, não só um programa agradável, como essencial para compreender um pouco mais a dinâmica da própria cidade e aprender um pouco mais sobre o Canadá. Quando visitei, por exemplo, o Marché Jean Talon, em Montréal outra cidade de colonização francesa , pude observar de forma muito próxima como a influência da França é presente na relação entre os canadenses, que vivem na província de Québec, com a comida. Tanto em Montréal, como em Québec City, a tradição de ir ao mercado municipal para comprar produtos frescos para preparar as refeições do dia é rotina, é parte do cotidiano e não um evento desconectado do dia a dia. A preocupação em valorizar os produtores locais também é parte da cultura canadense, que alinhava à sua economia não apenas às grandes indústrias, mas também aos pequenos empreendedores.

Dessa forma, deixar um espaço em seu roteiro para visitar o mercado do Velho Porto não só é uma oportunidade de conhecer mais um atrativo de Québec City, como também uma forma simpática e saborosa de aprender um pouco mais sobre a cidade e sobre o Canadá. De quebra, você ainda consegue levar para o Brasil alguns dos principais itens produzidos na província e em seu entorno (não esquecendo, no entanto, de que é proibido embarcar com carnes frescas, hortaliças e frutas no avião de volta para casa).

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

>>Outras informações sobre o Marché du Vieux-Port:

– Localização: 160 Saint-André Quai, Quebec City, G1K 3Y2, Canadá.

– Tel.: +1 (418) 692-2517

– Horário de Funcionamento: Segunda-feira à sexta, das 09:00 às 18:00; sábado e domingo, das 09:00 às 17:00 horas.

– Site oficial: http://www.marchevieuxport.com/

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

Marché du Vieux-Port (Old-Port Market). Imagem: Erik Araújo

  • Dicas do que fazer à noite em Québec City

Se você, como nós, dispor de pouco tempo na cidade, minha sugestão para a noite é retornar ao nosso ponto de partida: à avenida Grande Allée Est. Lá, como citei anteriormente, não só há uma grande concentração de cafés e restaurantes (para todos os bolsos), como também há opções de casas noturnas, como a Voodoo Grill, que achei divertidíssima por sinal.

Se você quiser um programa mais leve, pode simplesmente jantar e depois partir para uma caminhada tranquila pelas redondezas. Caminhar pelos arredores da Grande Allée Est à noite, inclusive, reitera a beleza de Québec City. Com seus lampiões e com suas fontes e edificações acesas, você certamente compreenderá porque o destino é conhecido como um dos mais charmosos e românticos do Canadá. Em mim, por exemplo, deixou uma daquelas saudades agradáveis e não dolorosas e a certeza de que, quando puder, retornarei a ela para desfrutá-la com mais tempo e ainda com mais atenção.

Rua de Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Rua de Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

Québec City à noite. Imagem: Erik Araújo

  • Viajando de trem pela companhia Via Rail para Québec City

Você sabia que é possível atravessar o Canadá de trem da costa leste a oeste, de Vancouver a Halifax? Durante nossa viagem de 32 dias pelo Canadá, utilizamos, durante a travessia pelo país, apenas trens da companhia Via Rail para o nosso deslocamento entre as cidades e províncias. Mantida pelo governo canadense, a companhia de trens conseguiu ligar uma das maiores nações do mundo em território de ponta a ponta e ainda alcançar porções longínquas, como Churchill e os territórios do Norte, utilizando apenas os trilhos.

Para chegar a Québec City, por exemplo, utilizamos o The Corridor (http://goo.gl/UE15NP) e explicamos detalhadamente através desse link questões referentes à bagagem, alimentação, Wifi, entre outros pontos. Dessa forma, caso você, viajante, se interesse em chegar até a capital de Québec sobre trilhos, basta acessar nosso post e conferir como é viajar a bordo dos trens da Via Rail. =D

The Corridor. Imagem: Erik Araújo

The Corridor. Imagem: Erik Araújo

>> Outras observações

– Localização da Estação de trens da Via Rail em Québec City: 450 rue de la Gare du Palais, Québec, QC, G1K 3X2, Canada.

– Tel.:

Chegadas e partidas: (888) 842-7245.
Informações e reservas: (514) 842-7245.

– Site oficial: http://www.viarail.ca/

Gare du Palais, estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Gare du Palais, estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Gare du Palais, estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

Gare du Palais, estação de trem da Via Rail em Québec City. Imagem: Erik Araújo

  • Parceiros e patrocinadores

patrocinio

  • Agradecimentos especiais:

Agradecemos à Via Rail por apoiar a expedição Jeguiando across Canada e o apoio de Halifax, Quebéc City, Montréal, Toronto, Winnipeg, Banff, Lake Louise, Jasper, Whistler e Vancouver durante nossas paradas. =)))

Siga o Jeguiando nas redes sociais e acompanhe o projeto Jeguiando across Canada:

Conheça os patrocinadores e parceiros do projeto:

Via Rail (Realização e Patrocínio)

Broker Brasil Corretora de Câmbio (Patrocínio)

Comissão de Turismo Canadense (Apoio)

Delta Hotels (Apoio)

Air Canada (Apoio)

Vertebratta (Idealização/Projeto)

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

6 Comentários

  1. Robson Luiz C. Carbalho disse:

    Quero cumprimentar pelo excelente trabalho e as belas fotos.
    Pretendo viajar para Quebec e tenho certeza que as valiosas dicas desta página me ajudaram a melhor conhecer a cidade.

  2. Adriana disse:

    Dicas de Quebec

  3. Maria Karoline. disse:

    Amei a matéria! Achei muito eficiente!
    Obrigada por me ajudar a programar minha viagem!
    Você visitou os pontos turísticos a pé ou teve que pegar algum ônibus?

    • Erik PZado disse:

      Fizemos os deslocamentos em Québec a pé e com um guia de carro. Já percebemos que uma das formas mais interessantes para conhecer a região, assim como muitas cidades canadenses é a bordo de ônibus turísticos! Opte sempre por eles, são mais acessíveis no geral e você pode descer e subir em vários pontos! 😀

  4. Rossani Ataide Teixeira de souza disse:

    Muito bom, com certeza me animou a conhecer Quebec, a princípio chegaríamos do Brasil em Montreal e conheceríamos Montreal, Toronto mas com seu post incluímos Quebec ! Muito obrigada


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: