Caros leitores, finalmente chegou a hora de divulgar o vencedor do concurso cultural “Vamos bater um papo de viagem?”! Para quem não lembra, o concurso, lançado no dia 25 de março, é uma parceria com o Hostelbookers e o descoladíssimo Telstar Hostels, que visa premiar a melhor história de viagem contada para nós com uma semana de hospedagem (do dia 20 a 28 de abril) no Telstar – uma semana em que estará rolando em São Paulo a maior feira de turismo mundial – a World Travel Market -, além de eventos como a Bang!, uma mostra de quadrinhos fantástica que acontecerá no próprio hostel e, de quebra, o lançamento do nosso “Papo de Viagem & outras histórias de bar” na cidade. O concurso também premiará o vencedor com um exemplar de nosso livro! =)

Banner retangular pequeno

Entre os dias 25/03 a 05/04, foram publicadas várias histórias de viajantes como a gente no campo de comentários dos posts sobre o concurso no blog do Hostelbookers, no do Dondeando por aí e no do Jeguiando. Para conferir as histórias, seguem os links:

http://www.dondeandoporai.com.br/concurso-cultural-vamos-bater-um-papo-de-viagem-e-passar-uma-semana-em-sao-paulo-com-a-gente/

http://jeguiando.com/2013/03/25/concurso-cultural-vamos-bater-um-papo-de-viagem/

Área de exposições do Telstar Hostels. Imagem: Telstar Hostels

Área de exposições do Telstar Hostels. Imagem: Telstar Hostels

Foram várias histórias interessantes (hilárias e tocantes), que caíram em nossas mãos (nas de Rodrigo dos Santos, do Hostelbookers), nas de Clarissa e nas minhas, para que tivéssemos a difícil tarefa de escolher qual delas levaria o prêmio. Agradecemos a todos pela participação, por dividir as histórias com a gente, mas agora é a hora de deixar a enrolação de lado e publicar a história vencedora! Vamos lá!

Ano passado, queria comemorar meu aniversário de 40 anos em grande estilo. Daí, a primeira coisa que me veio a cabeça foi: Caribe.
Queria comemorar em alguma praia maravilhosa, muito sol, com coquetéis coloridos, em alguma imensidão bem azul, bem ao estilo Ilha da Fantasia.
Comecei a reler antigas revistas do Boa Viagem, do O Globo e não achava nada. Mas, uma coisa me chamou atenção, nas contra-capas com promoções de pacotes havia sempre muita propaganda sobre San Andres, uma ilha no mar do Caribe colombiano.
Comecei a pesquisar e só lia maravilhas sobre o lugar, sobre as pessoas e não só sobre a beleza de San Andres, mas muita coisa boa sobre a Colombia também.
Enfim, fui para San Andres.
Passei lindos e memoráveis dias naquele lugar.
Mas, eis que chega o dia meu aniversario! O que eu queria mesmo era passar o dia em Old Providence, uma outra ilha pertinho de San Andres, onde faria só um bate-volta.
No dia anterior, fui no aeroporto batalhar minha passagem e nada! Nao tinha! Ai que tristeza…
De repente, alguns funcionários do aeroporto me viram tão triste e tão empenhada a ir que um deles resolveu me levar até uma agência para conseguir o pacote bate-volte (passagens de ida e volta e um tour de barco em volta da ilha). E lá foi, a maluca de carona na moto de um dos funcionários do aeroporto, um cara que nunca vi na vida. E não é que consegui?
No dia seguinte, às 6:30 da manhã, estava eu lá no aeroporto esperando começar minha pequena aventura.
Na hora de embarcar, era um teco-teco!
Comecei a me arrepender mas entrei. De repente, uns galos começaram a gritar dentro da tal avioneta e aí pensei de novo: Vou descer! Que lugar é esse que eu tô me metendo? Um teco-teco com galos dentro e um calor. E, tudo de ruim começou a pesar.
Mas aí, pensei. O que? Desistir! agora que já paguei uma pequena fortuna para apenas UM dia? Nananananão! Eu vou.
E, lá fomos nós. Eu, a avioneta calorenta e os malditos galos gritando naquele vôo de 15 minutos que parecia in-ter-mi-ná-vel.
Quase chegando, quando avistei uns morros e tal, olhei pra baixo e simplesmente fiquei encantada com todos aqueles tons de azul, verde e sei lá mais quantas cores tinha aquele mar…
Lembra quando eu que queria como na Ilha da Fantasia? Então, só faltava o Sr. Roaker e o Tattoo.
Finalmente, cheguei no lugar onde sairia o tour, onde uma mulher muito simpática me recepcionou e mostrou as casas que tinha bem ao lado, me deu seus contatos e disse que o dia que eu quisesse, era só ligar para alugar. Pensei, vou guardar por educação porque a verdade é nunca mais voltarei nesse lugar.
Quando o barco chegou… Ferrou minha vida! Me apaixonei pelo barqueiro na hora que ele pegou minha mão pra entrar.
Fiz meu tour em volta da ilha e durante o tour ficamos juntos e tal.
No fim do dia, na hora de voltar para San Andres, ele (o barqueiro) vira e diz: vc precisa voltar. Eu disse: não posso, fiz um roteiro e preciso segui-lo. Ele: ano que vem, então. Eu: Não posso também, stou planejando outro país, preciso conhecer o mundo, não posso ficar repetindo lugares.
Enfim, fui embora.
Resumindo: me apaixonei! Me apaixonei por ele, pelo lugar, pelas pessoas, pela calmaria e pelo NA-DA que lá tem de sobra.
Quando voltava para San Andres naquele fim de tarde, dentro daquela avioneta velha e toda remendada, senti um aperto no peito e uma enorme tristeza. E, durante aqueles outros interminaveis 15 minutos de vôo de volta pensei, preciso voltar.
Cheguei no aeroporto e não tinha passagem para o dia seguinte. Mas, como o pessoal do aeroporto e eu nos tornamos amigos, disseram pra eu voltar às 5:00 manhã do dia seguinte porque caso houvesse desistência ou o vôo não ficasse completo (uma certa quantidade de assentos já fica reservado para os isleños) eu seria a primeira a estar na espera.
No dia seguinte, às 4:30 da manhã, estava eu lá, aguardando ansiosamente com uma pequena esperança em ter um lugarzinho naquela avioneta remendada, houvesse galos ou não. Consegui.
Lembra do papelzinho? Sorte eu não ter jogado fora aquele pequeno papel com o contato da dona da casa para alugar que guardei apenas por educação. Aluguei a casinha de madeira de frente pro mar e assim passei os 2 meses mais felizes da minha vida.
Já voltei esse ano e voltarei em breve novamente pela 4ª vez.
O barqueiro? Vai bem, obrigada. Tá lá me esperando. Continuamos juntos e um dia quem sabe paro de ir e voltar e fico de vez?
Bom, essa é minha história.
Espero que gostem.

A história vencedora é a da carioca Fabíola Sad! Fabíola, parabéns pela história e, sobretudo, pelo amor!!! Agora, é hora de se preparar para passar uns dias em Sampa! Está pronta?

OBSERVAÇÃO: Caso o primeiro vencedor não possa “tomar posse” do prêmio, uma segunda história será selecionada, como assim foi definido no regulamento do concurso.

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

Um comentário

  1. Promoções e concursos são sempre muito legais não é mesmo? Adoramos esse concurso cultural Janaína! Falando nisso, você já está participando da nossa promoção?

    O Roteiro de turismo vai sortear um fim de semana em Campos do Jordão. É só participar através do link: Link Publicitário Removido

    Bjs.


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: