Parti pela manhã de Punta Arenas rumo a Puerto Natales, onde passaria a noite e, no dia seguinte, seguiria para o Parque Nacional Torres del Paine. Logo cedo, o ônibus da Comapa (operadora de turismo especializada em Patagônia) passou no hotel para dar início à viagem. Uma das coisas de que mais gosto é pegar estrada. Apesar de ficar agoniada em lugares fechados durante muito tempo, ainda prefiro viagens por terra do que pelo ar, pelas paisagens e pela possibilidade e independência de fazer paradas e conhecer lugares novos. A viagem fica ainda mais interessante quando a paisagem ajuda e o tédio não encontra lugar para se instalar. Em uma viagem à Patagônia, não despreze os momentos de deslocamento na estrada. Foi, por exemplo, acordada que vi um mar de ovelhas invadir a estrada, em uma das cenas mais bonitas que pude presenciar durante esta viagem ou avistar flamingos ao longe e um Condor brigar com outros pássaros para roubar uma caça. Entre paisagens ermas e animais aos bandos, não há como ficar indiferente à beleza da Patagônia (encontrei um vídeo que mostra um rebanho de ovelhas invadindo uma estrada na Tierra del Fuego. O mesmo acontece nas estradas da Patagônia Chilena. Confira no vídeo abaixo).


Na estrada, rumo a Puerto Natales. Imagem: Janaína Calaça

Na estrada, rumo a Puerto Natales. Imagem: Janaína Calaça

  • Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard – Chile (Patagônia)

Depois de algumas horas na estrada, chegamos em Puerto Consuelo, que fica a 7 km de Puerto Natales. Para a Patagônia Chilena, Puerto Consuelo possui grande importância histórica, pois foi lá que o processo efetivo de colonização da região, em 1892, teve seu início, além da importância do local no processo de sedimentação da província de Ultima Esperanza. Além de ser um local a ser visitado por sua relevância histórica, a presença do Fiorde Eberhard e das paisagens naturais também são razões suficientes para fazer uma parada por lá.

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard. Puerto Natales, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard, Chile. Imagem: Janaína Calaça

  • Agroturismo em Puerto Consuelo

Estabelecida à borda do Fiorde Eberhard, a Estância de Puerto Consuelo é uma forte opção turística para aqueles que estão dispostos a “sentir a Patagônia”, em toda a sua beleza e, principalmente, com todo o vento e frio característico da região. Centrada no Agroturismo, grande parte das atividades realizadas no local é contemplativa e envolve a observação da fauna selvagem, da flora, do fiorde, da cadeia de montanhas nevadas etc. Além de contemplar as paisagens a partir da estância, é possível também fazer passeios a cavalo e caminhadas pelas colinas. Geralmente, os passeios a cavalo pelos pampas terminam com uma típica parrillada, em que é possível provar um dos pratos típicos da região: o cordeiro patagônico assado no espeto no chão.


Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard. Puerto Natales, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard. Puerto Natales, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard. Puerto Natales, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo e Fiorde Eberhard, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo. Imagem: Janaína Calaça

Estância Puerto Consuelo. Imagem: Janaína Calaça

  •   Parrilla de Cordeiro Patagônico no Quincho Fiordo Eberhard

Como disse anteriormente, após atividades como passeios a cavalo, é possível ainda provar um dos pratos típicos da região: o Cordeiro Patagônico no Quincho Fiordo Eberhard. Tradicionalmente, o cordeiro é fincado no chão em um espeto especial ao redor de uma fogueira e é virado aos poucos para ser assado por completo. Após o preparo, o cordeiro passa pelo parrillero e recebe cortes especiais até chegar à mesa.

Cordeiro Patagônico assado no chão. Imagem: Janaína Calaça

Cordeiro Patagônico assado no chão. Imagem: Janaína Calaça

Cordeiro Patagônico passa por cortes especiais antes de chegar à mesa. Imagem: Janaína Calaça

Cordeiro Patagônico passa por cortes especiais antes de chegar à mesa. Imagem: Janaína Calaça

Além da parrillada, no Quincho Fiordo Eberhard, o restaurante com vista para o Fiorde Eberhard também dedica-se a servir outros pratos típicos chilenos, como a Cazuela (sopa chilena com batatas, milho e abóbora) e o Pulmay (mix de frutos do mar) tanto no almoço  como no jantar. Há também uma opção de chá da tarde, onde são servidos pratos artesanais como bolos, pães e geleia de ruibarbo. É preciso fazer reserva antecipadamente.

Cordeiro patagônico. Imagem: Janaína Calaça

Cordeiro patagônico. Imagem: Janaína Calaça

 Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Seja para contemplar suas paisagens, seja pela sua parrillada, vale incluir uma parada por lá. 😉

Observações importantes: Por ser uma viagem internacional, é aconselhável fazer um seguro de viagem. Viajou para longe de casa, não deixe de fazer um seguro!

  • Outras informações:

– Localização: Estancia Puerto Consuelo, KM. 23, Norte. Puerto Natales – Patagonia – Chile.

– Telefones: 56.09.93801080 – 56.09.92229056 – 56.09.81205248

– Email de contato: erik_eberhard@hotmail.com – gladysoto1957@gmail.com

– Site: Quincho Fiordo Eberhard

 Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

 Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Quer saber mais sobre a Patagônia Chilena e sobre o Chile em geral, acesse o site oficial do Turismo no Chile: http://www.chile.travel/ ou acompanhe as novidades através de sua fanpage: https://www.facebook.com/chiletravelguide

  • Agradecimentos

Ao Turismo Chile, ao Servicio Nacional de Turismo de la Región de Magallanes y Antártica Chilena e à Cámara de Empresarios de Turismo Austro Chile pela oportunidade de conhecer a incrível Patagônia Chilena; a Jorge Guazzini e Pía Moya pela confiança em meu trabalho e por todo suporte e um agradecimento especial à minha querida Mari Campos.

Brasa. Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Brasa. Quincho Fiordo Eberhard. Puerto Consuelo, Chile. Imagem: Janaína Calaça

Para acompanhar nossa viagem à Patagônia Chilena, siga o Jeguiando nas redes sociais!

Conheça nossa Fanpage!

http://www.facebook.com/Jeguiando

 

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

Um comentário

  1. offshore bank disse:

    Depois de andar um pouco pela cidade fomos novamente até a Laguna Negra lanchar. Não lembro onde conseguimos, mas tínhamos mais dois cupons de cortesia oferecendo chocolate quente.Na agência de correios é possível carimbar seu passaporte para provar que você esteve em Ushuaia. O Flávio não quis entrar na agência comigo mas eu levei o passaporte dele também. O carimbo é bonitinho :)Ainda fomos em um cyber café antes de voltar para o porto. Já no porto, depois que todos os passageiros chegaram, nos dirigimos até o barco. Era um barco relativamente pequeno mas bastante confortável.A vista da cidade a partir do mar é muito bonita. Ficamos um pouco na parte de cima no barco apreciando a paisagem. Depois que o passeio começou eu entrei pois estava com frio. Do lado de dentro havia uma mesa arrumada com biscoitos.Eu enjoei um pouco e só ia do lado de fora quando o barco estava se aproximando de um dos pontos de interesse da viagem. O Flávio ficou do lado de fora quase o tempo todo.Tinha um argentino que estava viajando sozinho e adotou uma tática engraçada. Toda vez que ele queria que tirássemos uma foto dele perguntava se nós queríamos que ele tirasse uma foto nossa. Aí é claro que retribuíamos o favor tirando uma foto dele rsrsrsrsVer os lobos marinhos e os cormoranes de perto é bem interessante. E o farol Les Eclaireus é muito bonito. O barco pára em uma ilha que já foi habitada pelos índios Yámanas. Descemos para caminhar na ilha e o guia foi explicando como viviam. Estes índios viviam nús e usavam a gordura dos lobos marinhos para “impermeabilizar” a pele e protegê-la do frio. E diga-se de passagem, que frio! brrrr…Quando os europeus chegaram, uma das providências tomadas foi vestir os índios. Como eles não tinham o hábito de tomar banho (devido ao seu estilo de vida), a falta de higiene aliada à umidade das roupas e às doenças trazidas pelos europeus ajudou a exterminar essa tribo indígena. A paisagem da ilha é deslumbrante, difícil foi aguentar o vento gelado.


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: