Bonito, MS (Parte III) – Bote no Rio Formoso


Em meio a fotos e muitas lembranças de dias solares, dou continuidade, meus caros jeguiantes, à série de posts sobre a linda cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, que aconteceu a convite do portal Bonito Web, da agência de viagens Ygarapé Tour e do COMTUR, parceiros que acreditaram no trabalho do Jeguiando e decidiram levar o nosso blog para conhecer este cantinho tão especial do Brasil. Hoje, o post será dedicado ao passeio de Bote no Rio Formoso, um rafting leve que inclui descida em duas corredeiras e três pequenas cachoeiras em um bote.

Pegando a estrada para o Rio Formoso. Imagem: Erik Pzado.

Pegando a estrada para o Rio Formoso. Imagem: Erik Pzado.

O passeio começa já na estrada a caminho para a Estância Araçá, com a observação da vegetação do cerrado, dos pés de Guavira (fruta docinha e típica do cerrado) espalhados ao longo do percurso e com a aparição, de vez em quando, de animais como lobinhos, tatu, etc.

  • A Estância Araçá
Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

A Estância Araçá é uma das propriedades sul mato-grossenses banhadas pelo Rio Formoso e que oferece a opção do passeio de bote aos visitantes de Bonito. Como todos os passeios oferecidos na cidade, há um horário marcado para dar início às atividades. Nossa chegada estava marcada para as 15:30 e o início do passeio seria às 16 horas.

Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

A necessidade de respeitar os horários está ligado ao fato de que assim é mantido um espaço entre os grupos, o que impede que tudo vire um caos e afete a dinâmica da natureza. É importante lembrar que toda a área é visitada por várias espécies de animais, que se assustam com a presença humana. Para observá-los, é mais fácil estar em pequenos grupos, diminuindo a intensidade de ruídos, que os afugentam. No caso do passeio de bote, é importante também um espaçamento para evitar que as embarcações se choquem na descida das corredeiras e cachoeiras.

Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Janaína Calaça.

Antes do passeio começar, sugiro dar umas voltas pela propriedade, conhecer a casa, sentar para descansar debaixo dos pequenos quiosques, tomar alguma coisa para aliviar o calor no bar ou beliscar algo no restaurante da Estância. Já que os visitantes chegam com algum tempo de antecedência para conhecer a sede do passeio, é bacana aproveitar o clima leve de fazenda. Esqueça do bote um pouco e foque a atenção em outras coisas!

Porteira que abre caminho para a Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Janaína Calaça.

Porteira. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Janaína Calaça.

Aproveitar um passeio envolve principalmente usar bem o tempo que passamos por lá. Com uma duração de meio dia, dá para fazer muita coisa além de descer as corredeiras. 🙂 O local conta com lanchonete, restaurante, vestiário, sanitários, ou seja, está bem estruturado para receber o visitante.

Potes de barro. Estância do Aracá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Janaína Calaça.

Potes de barro. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Janaína Calaça.

  • As corredeiras do Rio Formoso

As maiores atrações do passeio, sem dúvidas, são as águas, as corredeiras e as cachoeiras do Rio Formoso. Como disse anteriormente, antes do passeio de bote começar, aproveite o tempo para fazer algumas fotos e guardar de lembrança. Fotografias são parte de nossa memória externa e nos ajudam a recordar das sensações que a memória não dá conta. 🙂

Corredeira do Rio Formoso. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Piscina natural. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Piscina natural. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância do Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

Corredeira do Rio Formoso. Estância Araçá, Bonito, Mato Grosso do Sul. Imagem: Erik Pzado.

  • O passeio de bote no Rio Formoso ou rafting leve

– Uso obrigatório de coletes salva-vidas

No horário marcado, o guia começa a dar início aos preparativos para o passeio. O grupo é conduzido para um quiosque, onde são distribuídos coletes salva-vidas para todos. O uso do colete é obrigatório e não adianta usar o discurso de que “sei nadar”. O equipamento faz parte dos procedimentos de segurança e, mesmo que você seja um exímio nadador, não adianta, tem que usar!

Grupo anterior ao nosso descendo o Rio Formoso de bote. Imagem: Erik Pzado.

Grupo anterior ao nosso descendo o Rio Formoso de bote. Imagem: Erik Pzado.

– Instruções de posição para navegação e descida nas corredeiras

Recebendo instruções das posições de navegação e de descida das corredeiras já vestidos com coletes. Imagem cedidas: Ronaldo Saltiva.

Recebendo instruções das posições de navegação e de descida das corredeiras já vestidos com coletes. Imagem cedidas: Ronaldo Saltiva.

Depois que os coletes são distribuídos, o guia dá início às instruções das posições de descida de corredeiras e cachoeiras. Sentar de cavalinho, com o pé apoiado na corda ou sentar na beira do bote com os pés apoiados no fundo da embarcação são posições para navegação. Pernas flexionadas e abraçar o bote, segurando-se à corda, é a posição de descida de corredeiras e cachoeiras.

Grupo anterior ao nosso descendo o Rio Formoso de bote. Imagem: Erik Pzado.

Grupo se posiciona no bote para navegação no Rio Formoso. Imagem: Erik Pzado.

– Descendo as corredeiras e cachoeiras

Erik ajudando a remar o bote com nosso grupo. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Erik ajudando a remar o bote com nosso grupo. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Depois que todos estão prontos, é hora de embarcar. Calçados, como sandálias, papetes e tênis no fundo do bote. Antes de embarcar, use repelente de mosquitos e bloqueador solar para não voltar para casa cheio de picadas ou mais corado que peru em ceia natalina.

Navegando no Rio Formoso. Erik, eu (Jana Calaça) e o nosso grupo. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Navegando no Rio Formoso. Erik, eu (Jana Calaça) e o nosso grupo. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Os integrantes do grupo podem ajudar o guia no remo para dar maior velocidade à embarcação durante a navegação. De vez em quando, o guia, este ser humano iluminado, resolve animar o grupo jogando água em nossas gloriosas cabeças! 🙂 Eu mesma ganhei, em vez de salpicadas de remo, um banho de balde mesmo, vide o estilo boi-lambeu das minhas madeixas na foto acima. Ou seja, tias da chapinha ou da escova, é melhor levar uma toquinha de natação, caso não queiram estragar o penteado! Mas lembrem-se, é um passeio ecoturístico. Vamos deixar as frescuras em casa e aproveitar o momento! 😉

Nosso grupo descendo a cachoeira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Nosso grupo descendo a cachoeira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Descer corredeira é fácil. Engraçado mesmo quando o negócio é descer cachoeira. Segura daqui, segura dali, mas alguém sempre acaba escorregando para cima do outro. Quem não leva o “contato humano” na esportiva, é melhor ficar em casa, lendo a obra do Schopenhauer e praguejando sobre a vida, o universo e tudo mais! Aproveitem a oportunidade, meu povo, e o momento para rir e fazer novos amigos e não constranger os outros só porque esbarraram em você! Fica a dica! 😉

Nosso grupo descendo a cachoeira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Nosso grupo descendo a cachoeira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Depois de 2 corredeiras e três cachoeiras, o grupo faz uma parada de aproximadamente 10 minutos no rio para o banho. O calor sul mato-grossense pede água e nada mais gostoso do que se refrescar. Aproveite a parada para refrescar a cabeça, boiar, nadar e depois voltar ao bote para dar continuidade ao passeio, que tem um percurso de 6 km.

Navegar é preciso! Imagem: Tio Boca.

Navegar é preciso! Imagem: Tio Boca.

Sãos, salvos e sorridentes! Imagem: Tio Boca.

Sãos, salvos e sorridentes! Imagem: Tio Boca.

Depois de cumprir o trajeto, os grupos desembarcam na Ilha do Padre e lá podem aproveitar a estrutura de decks também para descer ao Rio Formoso e se banhar mais um pouco. Não precisa ter pressa. Use todo o tempo reservado ao passeio para se divertir e somar mais esta experiência à vida.

E o passeio chega ao fim! Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

E o passeio chega ao fim! Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

– Observação da fauna e flora

Um detalhe que citei logo no início do post é a aparição de animais ao longo do trajeto. Aves, macaquinhos, sucuris, entre outros animais, podem ser observados no passeio. É tudo uma questão de sorte e de administrar os ruídos para não afugentá-los. No mais, é só curtir os bichanos e a flora rica da região.

Macaquinho dando língua para todo mundo! Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Macaquinho dando língua para todo mundo! Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Bacuri. Imagem: Erik Pzado.

Bacuri. Imagem: Erik Pzado.

Sucuri na beira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Sucuri na beira do Rio Formoso. Imagens cedidas: Ronaldo Saltiva.

Arara vermelha. Imagem: Erik Pzado.

Arara vermelha. Imagem: Erik Pzado.

  • Dicas gerais:

– O passeio é voltado para todas as idades, por isso aproveite! Leve toda a família!;

– Leve repelente para mosquitos e protetor solar para o trajeto no rio;

– Leve na mochila toalha e roupas limpas para o fim do passeio. A sede possui banheiros e vestiários para que você possa fazer a troca.

  • Fotos. Como faço?

– Um fotográfo acompanha todo o trajeto do grupo e registra momentos como as descidas nas corredeiras e nas cachoeiras, entre outros momentos da travessia. Este ângulo privilegiado infelizmente não temos de dentro do bote, logo, se você quiser fotos suas nas descidas, pode adquirir o cd com as fotografias ao final do passeio. Neste passeio, o fotógrafo Ronaldo Saltiva contribuiu para o post com suas fotos. Obrigada, Ronaldo, por ceder as imagens!;

– A opção para você ter suas próprias fotos é comprar uma câmera descartável ou alugar nas agências ou no hotel as câmeras subaquáticas ou que estejam acomodadas em caixas-estanque.

        (Vídeo – Bote no Rio Formoso

Ygarapé Tour

      )
  • Adicione o passeio ao seu roteiro!

Caros jeguiantes, espero que tenham gostado do post sobre o Bote no Rio Formoso. Para maiores informações, acesse o site da Ygarapé Tour e veja como se programar! Ah, e não deixem de acompanhar os próximos posts sobre nossa visita a Bonito! Até a próxima!

Siga-nos no Twitter!

    *Aviso: Todo o conteúdo do Jeguiando.com está protegido pela LEI DO DIREITO AUTORAL, Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998. Portanto é proibida qualquer reprodução ou divulgação das imagens, com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação.     **Comentários ofensivos serão deletados.  

5 Comentários

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Erik PZado Araujo, Oficina do Diabo, jana_calaca, Jegueton, jana_calaca and others. jana_calaca said: @bferragini @Carina_Freitas Aventura do @jeguiando no Bote do Rio Formoso! Confiram! http://bit.ly/heOsL6 […]

  2. […] atrações turísticas da região que engloba Bonito e Jardim, como o Balneário Municipal, o Bote no Rio Formoso, a Flutuação no Rio da Prata, a visita ao Buraco das Araras e ao Projeto Jiboia e até participar […]

  3. Fabio disse:

    Guys,

    Mind the sham from this travel agency Ygarapé Tour.

    This tour company (Nara) “recommended” us to a guy (Jackson) who rented his house to us and it was the most awful experience ever.

    Moldy mattresses and pillows, windows without bars (no security), the hygiene was poor in the place.

    After we complained, Jackson was waiting for us to pay the full price like a bouncer, accepting no complaints whatsoever. That was very unpleasant.

    During the summer there’s plenty of rain, so the hotels get most of the reservations cancelled. Try the hotels in the last minute but don’t get tricked by dishonest opportunists.

    MOre info: “fko2001@yahoo.com”

    • Nara disse:

      Gostaria esclarecer e dizer que realmente não entendi a reclamação do Sr.Fábio Odaguira, pois o mesmo procurou a agência Ygarapé Tour em época de carnaval , onde as pousadas e hotéis só trabalham com pacotes de diárias, e o mesmo achou custo da hospedagem muito elevado. Devido a insistencia em uma alternativa mais economica de hospedagem , a pedidos do mesmo , passei o contato de um amigo que que talves pudesse alugar uma casa para temporada, na tentativa de pode ajudar ele e os amigos, de uma certa forma , e fazer com que a viagem deles se concretizasse da melhor forma possivel.
      Enfim trabalho na Ygarapé Tour a 3 anos e sei da seriedade dessa empresa, e gostaria de deixar claro que não foi a ygarapé que alugou a casa e nem participou dessa negociação. Isso foi feito diretamento com o locador e o locatário da casa, agora , se ele não gostou da casa ou da forma como o dono da casa falou com ele, é um direito seu dele, só quero que fique bem claro que o que fiz foi como pessoa e não como empresa, mas é uma pena que com certas pessoas não funcione muito bem.

      Só um detalhe ,verão chove em quase todo lugar no brasil, e uma pessoa que procura um destino de ecoturismo,ou até mesmo de praia, precisa ir ciente disso , e sobre cancelamento de passeios e hospedagem , isso é natural em lugares que oferecem passeios em ambientes naturais que muitas vezes dependem de condições climáticas para sua execução.

      Agora , tentar hotéis em cima da hora no ultimo minuto, é um risco, basta estar disposto , agora vaga para passeios , ainda mais um grupo de 8 pessoas no mesmo horário ,em período de carnaval , como foi o caso do Sr. Fábio, em cima da hora, será quase impossivel.

  4. anderson disse:

    Gostaria de saber se há vagas para o dia 26 out pela manhã e quanto ficaria para um grupo de pessoas?

    Grato… Anderson… tel 98577144 81375421


Anuncie no Jeguiando! 8 anos de viagens! Lojinha_do_Jeguiando

Pesquisar

  Expedição Jeguiando Across Canada - Atravessando o Canadá nos trens da Via Rail  

Destinos visitados pelo Jeguiando

    alemanha bariloche2 Canadá patagonia_chilena3 França Alagoas_topo Bahia recife Mato_Grosso_do_Sul Minas_Gerais Rio Sao_Paulo Paraná Porto_Alegre Santa_Catarina

Posts mais Populares

%d blogueiros gostam disto: